O movimento quilombola e a busca ao direito e a diversidade cultural

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1162 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]



















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 DESENVOLVIMENTO 4

3 CONCLUSÃO 7

REFERÊNCIAS 8

INTRODUÇÃO



A diversidade cultural abrange as diversidades culturais que existem entre as pessoas, como a linguagem, danças,modo de se vestir, tradições e heranças físicas e biológicas, bem como a forma como as sociedades organizam-se conforme a sua concepção de moral e de religião, a forma como eles interagem com o ambiente, entre outros.


No entanto, a diversidade ao mesmo tempo em que caracteriza um grupo também pode significar motivo de desigualdade e preconceito, como ocorre com os remanescentes dequilombolas, que têm enfrentado muitos obstáculos para conquistar o direito a sua diversidade cultural.

Sendo assim, o presente trabalho tem por objetivo apresentar, de forma sintetizada, a busca constante pelo direito a igualdade e a diversidade cultural em nosso país, a partir da realidade do movimento quilombola, destacando a necessidade de políticas públicas que garantam esse direito.DESENVOLVIMENTO

Desde a sua formação o homem já passa a fazer parte de grupos enquanto ser social que o é, passando a conviver com uma cultura diversificada que apresenta uma variabilidade de heranças culturais característicos dos diversos grupos que fazem parte da sociedade brasileira.


Conforme Rampazzo (2009, p. 25): “o caminho do desenvolvimento insere o homem comopertencente a uma comunidade, um mundo simbólico que o transcende, porém, no qual pode intervir”.


Assim sendo, as fronteiras sócio-simbólicas de um grupo étnico são construídas em função da comunicação e interação dos componentes do grupo e da solidariedade. Então, o ser humano pode intervir no mundo ao qual faz parte, que encontra-se dotado de uma diversidade cultural e direitos aserem alcançados.


Desta forma, diante da capacidade do ser humano de intervir na comunidade na qual está inserido, podemos enfatizar que os quilombolas foram constituídos a partir de processos diversos em todo o país, como fugas, heranças, doações e até compras de terras, por parte dos escravos, em pleno vigor do sistema escravista no país, surgindo assim, uma nova forma de organizaçãosocial: os quilombolas.


Portanto, de acordo com Bogado e Branco (2009, p. 39): “é importante compreender as novas formas de organização, pois, num curto espaço de tempo, firmaram-se e modificaram o modo de vida de grandes contingentes humanos”. Logo, é possível perceber a importância dos quilombolas na formação sociocultural brasileira e na atualidade no que se refere à diversidade culturale cidadania.


A expressão diversidade está relacionada à variedade e convivência de idéias, características ou elementos diferentes entre si, em determinado assunto, situação ou ambiente. Entretanto, a conversão das diferenças de gênero, raça/etnia, deficiência e orientação sexual, entre outras, em desigualdades são construções históricas geradas pela humanidade ao longo de sua históriade uso do poder.


Para Albiazzetti (2009, p. 112): “um aspecto importante da cidadania num mundo globalizado e reconhecer o direito do outro de ser diferente, seja em termos étnicos, culturais, sexuais ou outro qualquer. O respeito à identidade do outro possibilitará a convivência da diversidade, permitindo, por meio da difusão cultural, o enriquecimento de todas as culturas,modificando-as e aproximando-as.”


Sendo assim, os movimentos sociais sempre foram muito importantes para a mudança de relações entre os grupos, propondo reivindicação de espaços, reformulação de leis, igualdade de direitos, entre outros.


Nas palavras de Costa (2009, p.8): (...) cada povo ou cada comunidade para ser considerada como tradicional e ser efetivamente participe do direito...
tracking img