O fim do mundo antigo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1002 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
CURSO DE HISTÓRIA
JANAINA HUBNER DE CARVALHO ROCHA








O fim do mundo antigo












Maravilha
2012
janaina hubner de carvalho rocha










O fim do mundo antigo








Trabalho final apresentado ao Curso de história da UNOPAR - Universidade Norte do ParanáOrientador: Prof. Leliane Ortiz






Maravilha

2012



Sumario







Introdução ________________________________________________ 04



Desenvolvimento __________________________________________ 05



Conclusão _______________________________________________ 08



Referencias bibliograficas_____________________________________ 09

































Introdução



Analisando os textos sugeridos percebe-se uma enorme transformação que ocorreu na sociedade romana, a queda do Império Romano, as invasões bárbaras definiram o fim do mundo antigo. Estes períodos históricos foram vistos durante muito tempo como algo natural, que fazia parte da continuidadehistórica, foi a partir do século XIX que pensadores surgiram com a ideologia de progresso.Mas o que realmente aconteceu com Império Romano? Sua “queda” ocorreu por causa de problemas politicos e economicos e não apenas pelas invasões barbaras como se pensou dureante muitos anos. A finalidade deste trabalho é chegar a um ponto comum a respeito do verdadeiro motivo que levou o a decadência ou queda doImpério Romano.
Os termos “queda”, “declino”, “bárbaro” fazem uma relação entre a comunicação e a linguagem utilizada pelos historiadoresque estudaram o fim do mundo antigo.A decadência do Império Romano,as mudanças e o progresso permitiram que Idade Media adquirisse um novo sentido dentro da historiografia.
















Desenvolvimento
O fim do mundo antigo trouxe uma sériede perguntas para os historiadores. A invasão dos bárbaros, a queda do Império Romano, entre outros fatos na historia deu origem a uma nova maneira de pensar dos historiadores. Os contemporâneos ficaram perplexos com o fim do Império e houve assim uma quebra entre o homem da antiguidade e o homem dos novos tempos. Houve uma perseguição dos bárbaros e o mundo antigo decaiu até quase desaparecer,isto poderia ser dito como a destruição de uma refinada civilização, portanto, a verdade é um pouco mais complexa, os invasores não apenas destruíram, eles construíram uma nova e duradoura sociedade. Permaneceu algumas construções, como a Igreja Romana, que era tradicional, porém outras foram construídas (como mais tarde, por exemplo, o feudalismo, que exaltava os guerreiros e as mútuas obrigaçõessociais). Até o século XVI o renascimento buscava os valores clássicos negando a experiência medieval. Foi com a chegada dos pensadores nos séculos XVII e XVIII que se mudou a idéia de que se tinha que a humanidade passava por fases regulares de progresso, apogeu e decadência, para depois voltar ao ponto de partida e iniciar um novo ciclo, os pensadores não acreditavam nessa possibilidade e sim quetudo tem um novo começo. O período conhecido como Alta Idade Média durou pouco e é muito difícil reconstruir com precisão o fim do mundo antigo. O estudo sobre a Antiguidade e Idade média passa por várias transformações em seu sistema de idéias, pois os historiadores mudam suas concepções conforme analisam os vestígios e documentos históricos. Nenhuma outra queda de civilizações foi tão discutidaentre os historiadores, justamente porque tinha muita política envolvida com a queda do Império. Necessidades é uma maneira prática de colocar em planos de ações os pensamentos.
De que adianta reclamar do erro do passado se não tentar consertá-lo no futuro?









Conclusão



O curso de capacitação de tutores, os materiais disponibilizados, possibilitou o estudo profundo...
tracking img