O enfermeiro e a morte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2338 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O Enfermeiro e a Morte
Sua interpretações, e reações.

Your Logo

A definição de Morte: Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem
Dilema do Progresso: Antibióticos Cirurgia Novas técnicas de diagnóstico Novos tratamentos.

A morte torna-se a imagem do fracasso da Ciência e da tecnologia em que o homem confiava.

Here comes your footer

Page 2

O Doente MoribundoNega a iminência de morte Insegurança Esperança

Here comes your footer

Page 3

Negação da Morte

No hospital: instituição de saúde Nossa própria reação que bloqueia o doente: Por isso, é necessário ajudar os profissionais de Saúde a ultrapassarem os seus próprios temores relativos a morte, sensibilizando-os para o papel preponderante, que têm no acompanhamento do doente e família.Here comes your footer

Page 4

Paciente Moribundo e o Profissional

Depressão Diferentes Reações: Pouca Tolerancia Palavras Vazias

Here comes your footer

Page 5

Pós – Morte para o Profissional
“Luto” do Profissional Incapacidade

Here comes your footer

Page 6

Considera-se que as mortes podem não ser completamente adequadas, mas condutas mais tranqüilizadoras podem serfacilitadas, permitindo melhorar mortes potencialmente dolorosas...

Here comes your footer

Page 7

Como Lidar com a Morte

“Nossas Vitórias sobre a doença e a morte são sempre temporárias, mas nossa necessidade de apoio e cuidado diante delas, são sempre Permanentes”.

(Callahan, 1993)

Here comes your footer

Page 8

O Enfermeiro e a Morte

A morte provoca sentimentos intensosnos profissionais de saúde; Dificuldades pessoais de adaptação ao processo de morrer;. Incapacidade de atender doentes numa situação difícil de doença avançada; Falta de preparo para o diagnóstico da doença;

Here comes your footer

Page 9

O Enfermeiro e a Morte

O cuidado difere de acordo com a visão de morte típico de cada profissional; Impacto na identidade pessoal e profissional daequipe cuidadora; A reação dos profissionais influencia na preocupação e recuperação do paciente; Negação da morte pelos profissionais;

Here comes your footer

Page 10

O Enfermeiro e a Morte

Manifestações públicas de sofrimento; Falta de suporte profissional institucionalizado para ajudar a enfrentar a morte; Aumento do stress.

Here comes your footer

Page 11

Atuação doEnfermeiro perante a Morte
Para que o fenômeno da Morte seja encarado com serenidade pelo enfermeiro, este deve prevê-la como inevitável. Assim deve ter como atitudes:

Comunicar a situação terminal do doente, conforme a vontade e capacidade de aceitação do doente. Ter respeito pela diferença, cada doente tem o seu modo de estar na vida. O doente raramente esta isolado, os familiares podem ajudar ouperturbar

Here comes your footer

Page 12

Atuação do Enfermeiro perante a Morte
Deve ainda: Compartilhar, deixar a pessoa expressar os seus temores e desejos. Diminuir a dor, o sofrimento e a angustia. Auxiliar corretamente o doente a assumir a morte como experiência que só ele pode viver. Toda a equipe deve ter um comportamento idêntico, linguagem, em relação a informação dada ao doentepara não existir contradições. Promover a vivência da fase final de vida no domicilio sempre que possível.

Here comes your footer

Page 13

Cuidados Paliativos: A Enfermaria entre a vida e a Morte
“Enfermaria da morte”; São internados pacientes em estágios terminais; Há sempre alguém rindo e contando uma história, pequenas grandes cenas; O tratamento começa onde a maioria deles terminam;Ao acolher pacientes com a vida abreviada pelo câncer ou por uma doença crônica, defende-se uma prática médica em que cuidar é mais do que curar curar; Respeito à morte.

Here comes your footer

Page 14

Cuidados Paliativos: A Enfermaria entre a vida e a Morte

O paciente decide como morrer, ou seja, é responsável por sua vida até o fim (em caso de autonomia reduzida seus familiares...
tracking img