O classicismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1899 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O começo de tudo

O classicismo se inicia em Portugal no ano de 1527. O marco cronológico inicial desse período é a volta de Francisco Sá de

Miranda a Portugal, a que divulgou a nova concepção da arte, o
“doce estilo novo”, marcado pela retomada da mitologia pagã, perfeição estética e pela pureza das formas. Os homens do século XVI acreditavam que os gregos e romanos eram detentores dosideais de beleza. Novas formas poéticas de inspiração clássica passam a ser utilizadas pelos artistas chamados humanistas ou italianizantes.

Características do Classicismo: ● Quanto à métrica, usa-se a medida nova (versos decassílabos) ● Novas formas poéticas - Soneto: é a composição de 14 versos divididos em dois quartetos e dois tercetos. - Ode: Poesia de exaltação - Elegia: composiçãoinspirada em sentimentos tristes - Écloga: composição amorosa, pastoril - Epopéia: poema longo sobre acontecimento histórico de grande relevância

● Temas poéticos
- Reflexão Moral - Filosofia - Política - Lirismo Amoroso

Vida e Obra

Camões (1524(?) – 1580) Muito jovem, perdeu seu pai Simão Vaz de Camões, tendo sido

educado por sua mãe Ana de Sá Macedo, que o enviara a Coimbra,
onde poralgum tempo estudou no colégio do mosteiro de S. Cruz, o que lhe possibilitou escrever Os Lusíadas. Ingressou no exército da Coroa de Portugal e participou da guerra contra Ceuta, no Marrocos. Nesse conflito, perdeu o olho direito. Quando retornou a Portugal, entregou-se a uma vida desregrada; em 1552 foi preso por ter agredido um oficial do rei e só foi posto em liberdade em 1553. Nesse períodocompôs o primeiro canto de Os Lusíadas. Em 1560, o navio em que viajava naufragou na foz do rio Mekong. Camões salvou os originais de Os Lusíadas nadando até a terra com o manuscrito. Sua amante Dinamene morreu afogada, porém vários

poemas líricos da obra são dedicados a ela.

Em 1570, retornou a Lisboa já com a obra finalizada. Em 1572 publicou a monumental obra. Por alvará de D. Sebastião, dequem recebera como gratificação uma tença anual de 15.000 réis, num período de três anos. Morreu em 1580, em absoluta pobreza. Convém lembrar que neste ano, as preocupações de Camões

tornaram-se realidade: Portugal perde a autonomia, passando para
o domínio espanhol. Era Camões vidente? Não , apenas um poeta que, mesmo exaltando a pátria, nunca perdeu a consciência da realidade vivida por seupaís: desde o início do governo insano de D. Sebastião, podia-se prever um futuro tenebroso para Portugal. Em uma carta o poeta sintetizou este momento: ... “Acabarei a vida e verão todos que fui tão afeiçoado à minha pátria que não me contentei em morrer nela, mas com ela”. A vida de Camões ainda permanece pontilhada de dúvidas. O que não o impede de ser o maior poeta da língua portuguesa. Autor da obra lírica de maior importância das letras portuguesas.

● Camões épico: - Título: Os Lusíadas, a palavra significa “os lusitanos” e como afirma Hernâni Cidade, é um “nome que logo nos anuncia a história heróica de todo um povo. Os Lusíadas são os próprios Lusos em sua alma como em sua ação.” - Herói: O herói da obra é todo povo português, do qual Vasco da Gama é digno representante.Podemos afirmar que o poema apresenta um herói coletivo representado por todo povo lusitano, individualizado na figura de Vasco da Gama, que seria assim o herói individual. - Tema: Camões cantará as conquista de Portugal, as glórias dos navegadores, dos reis do passado; em outras palavras, a história de Portugal.

● Camões lírico: Sua poesia lírica é marcada por uma dualidade: 1º textos denítida herança da tradicional poesia portuguesa, inclusive escritos em redondilhas. 2º poesias enquadradas no estilo novo do Renascimento, como é o caso de seus belíssimos sonetos. - O Amor: Visto como ideia, e como manifestação de carnalidade. No amor enquanto ideia a mulher amada é retratada de forma idealizada, que descreve um ser superior, angelical, perfeito. Por outro lado a própria vida...
tracking img