O alienista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1347 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O ALIENISTA: ASPECTOS COMPARATIVOS ENTRE PERSONAGENS PROTAGÔNICOS

Alessandra Glória
Aser Amâncio Ferreira
Elaine Cristina Lopes de Barros
Érica Bruno TocantinsRodrigo Antonio G. Venceslau
(Faculdade de Letras - UNIC )

RESUMO
Este artigo faz uma abordagem sobre a história do personagem, Simão Bacamarte, o qual figura como um renomado médico do Brasil, de Portugal e da Espanha. Estudou em Coimbra e Pádua; se interessou em aprofundar seusconhecimentos nas áreas entre: a razão e a loucura. Ao retornar ao Brasil, Simão, instalou-se na cidade de Itaguaí, localizada no Sul Fluminense, com o referido propósito, bem como edificou, ali, um hospital, para doentes mentais, que fora denominado como “Casa Verde”.

Palavras-chave: Ciência. Razão. Loucura.

RESUMEN
Este artículo hace un abordaje sobre la historia del personaje, SimãoBacamarte, que figura como un reconocido médico de Brasil, de Portugal y de la España. Estudió en Coimbra y Padua; Se interesió en profundizar sus conocimientos en las áreas entre: la razón y la locura. A su regreso a Brasil, Simon, se estableció en la ciudad de Itaguaí, situado en el sur Fluminense, con este objetivo, así como construyó, allá, un hospital para enfermos mentales, que fue llamado"Casa Verde".

Palabras-clave: Ciencia. Razón. Locura.

Nesta Obra – O Alienista – pertencente à corrente realista da literatura brasileira, percebe-se que o autor descreve, literalmente, os coeficientes psicológicos ao se tratar do estudo entre: a razão e a loucura, ou seja, os mistérios da alma. A história do médico, Simão Bacamarte, protagonista da referida obra, retrata a relação dapsicologia com a criatividade processual da poesia artística: a Estética. O viril protagonista vê o mundo, ao seu redor, mergulhado em insanidade.
Devido a essa linha imaginária, Simão começa a catalogar conteúdos psíquicos com o objetivo de aprimorar seus conhecimentos. Assim, ele passa a privar a liberdade de algumas pessoas itaguaienses, com a finalidade em estudá-los, no que se refere atranstorno mental e/ou outra patologia que os envolvesse.
Bacamarte achava que as pessoas, mediantes seus atos ou declarações, possuíam algum desvio mental partindo, analiticamente, dos fatos cometidos por elas. O médico, com seu projeto experimental, fora conquistando a sociedade itaguaiense no que se referia: a cura. Mas, Simão desejava avançar seus conhecimentos na área da ciência, transpondobarreiras e, com isso, deixava algumas pessoas amarguradas. A princípio, o projeto do Dr. Simão, foi recebido orgulhosamente pela comunidade local, uma vez que limitar-se-ia a recolher, naquela Unidade Mental, apenas os que fossem indicados, por todos, como loucos.
Dona Evarista, esposa de Simão, fica inconsolada por receber várias queixas, sobre o procedimento médico, do seu marido. Ela tentaconvencê-lo a parar com suas experiências, mas é surpreendida e presenteada, pelo Doutor, com uma viagem ao Rio de Janeiro. Assim, o Médico fica livre para dedicar-se apenas a ciência. Simão desenvolve uma nova teoria: a loucura seria universal. Então, o médico interna, numa primeira etapa, aqueles que apresentavam hábitos ou atitudes como: mentir, vaidade, etc. Mas, devido às atitudes do Dr. Simão, aaprovação, quanto a seus experimentos, foi cessada; haja vista a revolta da população contra a “Casa Verde”.
Essa revolta foi liderada pelo barbeiro Porfírio e foi conhecida, também, como revolta dos canjicas. Revolta essa que venceu os Dragões (Soldados) e derrubou a Câmara dos Vereadores. Em seguida, o Barbeiro já no poder, faz um acordo com Simão e, a fim de ludibriar o povo, libertaria do...
tracking img