A semana de arte moderna

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2002 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho
De
Língua Portuguesa

Aluna: Karen Cristina
Nº: 13 - 3ºA
Tema: Semana de Arte Moderna
Professora: Maria Denise

Indice

Introdução 3
Antecedentes 4
A Semana 6
Desdobramento 7
Conclusão 8
Bibliografia8

A semana da Arte Moderna

Introdução

Embora as primeiras manifestações modernistas já viessem surgindo em São Paulo desde 1911, é somente na década de 1920, principalmente a partir da Semana de Arte Moderna (1922), que o Modernismo se difunde e se solidifica em nosso país. O debate em torno das questões estéticas aos poucos ganha caráter ideológico, o que prenuncia a literatura defundo político da década de 1930.
As renovações no campo da arte e da literatura brasileiras ensaiavam seus primeiros passos já no início do século XX, com os pré-modernistas. Contudo, até a realização da Semana de Arte Moderna, em 1922, a mentalidade oficial predominante em nossa cultura era essencialmente acadêmica e parnasiana. Nessas duas primeiras décadas do século, vários fatores de ordemsocial, política, econômica e cultural atuaram na vida brasileira, produzindo nela mudanças profundas.
A Semana de Arte Moderna, também chamada de Semana de 22, ocorreu em São Paulo no ano de 1922, nos dias 13 a 17 de fevereiro, no Teatro Municipal. Cada dia da semana foi dedicado a um tema: respectivamente, pintura e escultura, poesia, literatura e música.
O presidente do estado de São Paulo àépoca, Washington Luís, apoiou o movimento, especialmente por meio de René Thiollier, que solicitou patrocínio para trazer os artistas do Rio de Janeiro Plínio Salgado e Menotti Del Pichia, membros de seu partido, o Partido Republicano Paulista.
A Semana de Arte Moderna representou uma verdadeira renovação de linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora da ruptura com o passado eaté corporal, pois a arte passou então da vanguarda, para o modernismo. O evento marcou época ao apresentar novas ideias e conceitos artísticos, como a poesia através da declamação, que antes era só escrita; a música por meio de concertos, que antes só havia cantores sem acompanhamento de orquestras sinfônicas; e a arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquitetura, com desenhosarrojados e modernos. O adjetivo "novo" passou a ser marcado em todas estas manifestações que propunha algo no mínimo curioso e de interesse.

Antecedentes

Mário de Andrade (sentado), Anita Malfatti (sentada, ao centro) e Zina Aita (à esquerda de Anita), em São Paulo, Brasil, 1922.

A Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo, representa um divisor de águas na cultura brasileira, tal aprofundidade das transformações que gerou. Contudo, a Semana não foi o começo das mudanças, mas o ponto culminante de um processo que se iniciara na década anterior, quando um conjunto de episódios, tais como publicações de artigos polêmicos na imprensa, publicações de obras, exposições, começou a minar as sólidas bases da cultura acadêmica nacional.
Eis alguns dos principais acontecimentos queprecederam o espirito da Semana:
1911 – Oswald de Andrade e Emílio de Menezes fundam a revista de artes O Pirralho. Participa da revista o engenheiro Alexandre Marcondes Machado (Juó Bananére), que satirizava nomes consagrados da poesia brasileira.
1912 – Oswald de Andrade volta da Europa trazendo a novidade do verso livre, influência do futurismo e da poesia de Paul Fort.
1913 – O pintor russoLasar Segall, posteriormente naturalizado brasileiro, faz uma exposição de pintura expressionista, sem grande repercussão.
1914 – A pintora Anita Malfatti regressa da Europa, onde desde 1912 estudava pintura expressionista, e faz uma exposição na Casa Mappin, sem maior destaque. Em 1915 a pintora parte para Nova Iorque.
1915 – Ronald de Carvalho (futuro participante da Semana da Arte Moderna)...
tracking img