A perpetuidade da moral no superego e a injustiça social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3609 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
| UNIVERSIDADE DE SÃO PAULOFaculdade de EducaçãoDisciplina: Psicanálise, Educação e Cultura. EDF-294Docente: Profa. Dra. Mônica do AmaralAluno: Micael Santos Gerosa nº USP: 4890363 |

A Perpetuidade da Moral no Superego e a Injustiça Social

Primeira Síntese

São Paulo
2012
Introdução
A seguinte síntese levou em consideração cinco textos: o Aforismo 354 de Nietzsche; “Além do Bem e doMal”, também de Nietzsche; a “Conferência XXXI” de Freud; “A dissolução do complexo de Édipo”, também de Freud; e por último o “Pacto Edípico e Pacto Social” de Pellegrino. Os textos foram sintetizados de uma forma a conectar as reflexões dos autores em um único tema. Este tema pode ser resumido como o processo de civilização mental do ser humano e as consequências perversas da injustiça social.Para que isso fosse possível, certas partes de alguns textos foram excluídas em favorecimento de outras.
1. A Origem da Consciência
Texto analisado: “Aforismo 354” – F. Nietzsche
Segundo Nietzsche, a consciência surge da necessidade humana de entender, interpretar e comunicar seus próprios pensamentos. No entanto, somente uma parte superficial do pensamento é compreendida e expressada pelo homem.Uma das razões disso se deve pelo fato de que os pensamentos são compreendidos através da linguagem, uma invenção humana. E como a língua não é original de uma única mente, mas sim uma ferramenta usada pelo coletivo, dificilmente ela seria suficiente para expressar toda a complexidade dos pensamentos e sentimentos do indivíduo.
Outra razão apontada por Nietzsche é que a consciência é um produtodo grupo. Ela existe para facilitar a convivência entre os homens. E para facilitar essa convivência muitos pensamentos são filtrados e não expressados. O pensamento que se torna consciente é filtrado, superficial, pois está limitado pela convivência social, pelas moralidades do grupo, seus costumes, etc.
Portanto, tentar analisar o mundo ou a si mesmo somente através do pensamento conscienteseria errado. Nossas ideias não vem apenas do pensamento consciente. Todas as experiências de nossa vida contam muito na elaboração do pensamento. E quando esses pensamentos são traduzidos pela consciência sofrem com as limitações externas e sociais.
Tendo isso em mente, pode-se concluir que quanto mais elaborada for a linguagem, mais elaborada e desenvolvida será a consciência.
“Odesenvolvimento da linguagem e o desenvolvimento da consciência (...) vão de mãos dadas”. (NIETZSCHE, 1983: p.217)
2. Questionamentos sobre a Moralidade e a Objetividade do Pensamento Lógico
Texto analisado: “Além do Bem e do Mal” – Nietzsche
Aforismos 16 e 17:
A questão que parece estar na cabeça de Nietzsche é sobre a objetividade do pensamento lógico. Ele critica a noção de que existem “certezasimediatas”. Para ele o pensamento consciente é um processo temporal, impossível de ser imediato. Por exemplo: ao perguntar a uma pessoa com ela se sente, ela pode responder que está feliz, triste, nervosa, etc. No entanto, como é que esta pessoa traduz em uma única palavra o que sente? Se ela diz que está feliz, é por causa do seu estado momentâneo de fato ou porque, se comparado a outras sensações queela experimentou no passado esta lhe parece ser feliz? Porque se isso for verdade, a resposta da pessoa é superficial e pouco verdadeira, pois suas interpretações do mundo são únicas. O que para uma pessoa é felicidade, para outra pode não ser.
Portanto, cada um de nós utiliza as mesmas palavras para expressar sensações diferentes. Vale lembrar que a linguagem e a consciência, segundo Nietzsche,são produtos do grupo, portanto, toda vez que um pensamento se forma na consciência ele está carregado de influências externas, pois a linguagem que usamos não é original a nós mesmos. Esta é a grande crítica de Nietzsche. Pois, se o pensamento consciente for um processo temporal, dependente de experiências passadas, como é que ele pode ser imediato e lógico? E se o pensamento é um processo como...
tracking img