A INTERNET NO BRASIL

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1917 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de maio de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto
A INTERNET NO BRASIL
No Brasil, a rede só chegou em 1988, por intermédio da Fundação de amparo à pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Na época, vários bolsistas da instituição, quando voltavam de cursos de doutorado nos Estados Unidos, sentiam falta da utilização das infovias, já amplamente usadas nas instituições de ensino americanas. A inauguração oficial do serviço foi feita somente emabril de 1989, meramente para uso de Universidades e do Governo.
Mesmo após o surgimento da World Wide Web, em 1991, a utilização da rede no país era privilégio daqueles que tinham acesso à Rede Nacional de Pesquisa (RNP), criada em 1992 pelo Ministério da Ciência e Tecnologia com o objetivo de organizar o acesso à infovia nas instituições acadêmicas. Somente em 1995 seria publicada a portaria doGoverno Federal que permitia a utilização da rede para fins comerciais.
Uma maneira de se verificar o crescimento da Web no país é se atentar que, em maio de 2000, o número de usuários da rede mundial de computadores chegava aos 4,8 milhões no Brasil, de acordo com pesquisa realizada pelo IBOPE, nas nove principais praças do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba,Salvador, Recife, Fortaleza e Distrito Federal).
Em 2001, o Brasil já contava com 11,9 milhões de usuários. O levantamento é relativo ao mês de julho de 2001 e indica um aumento de 9% em relação a junho. No entanto, o dado mais importante da pesquisa foi a aferição do perfil sócio-econômico do internauta brasileiro à época: dos entrevistados, 50% têm trinta anos ou mais, 47% possuem grau deinstrução superior e a maioria possui uma renda média acima de R$ 3.600,00, confirmando que a Internet ainda não está acessível às camadas mais populares.
Atualmente, o Brasil já tem 14,3 milhões de internautas residenciais: o crescimento de 2,44% em relação a setembro de 2002 mostra que, apesar da crise, a Web brasileira continua crescendo. Um outro dado muito importante é que as eleições de 2002 atraírammuitos usuários, segundo informações do IBOPE.
No entanto, fica patente que o uso da Internet no Brasil ainda não se democratizou, tampouco se tornou popular na medida em que uma esmagadora parte da população brasileira está excluída dos avanços da tecnologia da informação. Esse contingente de dezenas de milhões de pessoas não têm acesso à informação ofertada na rede mundial, sendo marginalizadospela exclusão digital.
2. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
Tido como principal indicador do atraso do país, o analfabetismo atingiu em 1999 um total de 22,8 milhões de brasileiros, o que corresponde a 13,8% da população com mais de 15 anos de idade, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) feita em 1999 pelo IBGE. Com essa taxa, o Brasil se inclui entre os sete paíseslatino-americanos com taxa de analfabetismo superior a 10%. Dessa lista também fazem parte a República Dominicana, El Salvador, Guatemala e Haiti. A maior parte dos analfabetos do país - 27,5% - está concentrada na região Nordeste.
É importante notar que o Nordeste é a região mais pobre do país: 50,12% da população nordestina têm renda familiar de meio salário mínimo. Os nove Estados do Nordeste lideram asmaiores taxas de mortalidade infantil do país. De acordo com levantamento do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) divulgado em 1999, as 150 cidades com maiores taxas de desnutrição do país estão no Nordeste. Nelas, 33,66% das crianças menores de 05 anos são desnutridas.
Acontece que, além dos analfabetos propriamente ditos (ou absolutos), que não sabem ler nem escrever, é precisosalientar que o no Brasil há 30,5% de analfabetos funcionais: pessoas com mais de 15 anos que têm menos de quatro anos de escolaridade, segundo o IBGE. Os analfabetos funcionais conseguem ler e escrever de uma maneira rudimentar, mas são incapazes de entender textos mais longos, como um manual de trabalho numa fábrica. A região Nordeste detém o maior índice (47,8%) de analfabetismo funcional,...
tracking img