A escola de recife

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1860 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A Escola de Recife sofre de uma arrogância tal como ocorreu com os outros pensadores brasileiros, de não dar-se conta de correção das idéias (principalmente as ecléticas). A filosofia constitui um elemento que unificou os diferentes elementos culturas desta realidade. Surgiu nos anos 70 do século passado, dentro do movimento de idéias novas. "No ciclo incial, tratava-se de combater os suportes damonarquia, entendida como obstáculo ao progresso. Esgrimando tese apanhadas indiciriminadamente na obra de Comte, Darwin, Taine, Renan e outro. Não há facções ou tendências, mas uma espécie de frente cientificista. Nesse ambiente é que surge o positivismo como dissidente, mas na verdade formando diversas vertentes e influinfo de forma diversificada seguindo os segmentos da cultura brasileira quese considere" ( ). Tão logo se consituiu iniciaram-se as contestações, popularizadas na frase de Sílvio Romero: "Se constituía sintima de atrase combatê-lo por se estar aquém corrrespondia a sinal de progresso feri-lo por se estar além" ( ).

A Escola tinha várias preocupações desde a poesia, a política, mas a filosofia é que se constituiu no elemento unificador. Tem suas raízes na filosofiaevolucionista, com bases em Spencer, que já afirmara a questão evolucionista antes mesmo do próprio Darwin. Spencer afirmara que o "evolucionismo é uma integração de matéria e uma dissipação concomitante de movimento, durante a qual a matéria passa de uma hegemonia definida e coerente e durante a qual o movimento retido sofre uma transformação paralela" (87).

Junto ao evolucionismo esta aconcepção monista que afirma a pluralidade dos seres como resolúvel numa unidade fundamental imanente. É da união do evolucionismo com o monismo que surge a Escola de Recife, tendo como seus maiores expoentes Tobias Barreto (1839-1889), Sílvio Romero (1851-1914), Clóvis Bevilacqua (1859-1944) e Euclides da Cunha (1866-1909). É uma reação ao oficialismo da filosofia instituída como doutrina imperial. Frutoda reflexão formada na faculdade de direito da capital pernambucana.

TOBIAS BARRETO, reage por meio da publicação do jornal intitulado DEUTCHER KAMPFER, totalmente em alemão, porque segundo ele era a maneira de restabelecer a reflexão com propósitos puramente filosóficos. Afirma que o ecletismo é apenas um sombra de ilustres defuntos, cujas teorias, em tudo ou em parte, morreram também. Paraele o positivismo também não servia como ideal de reflexão pois se tornou um mero catálogo de fatos, petrificando-se em uma dogm tica do novo gênero, e como todas as dogm ticas, um processo de encurtar a atrofia cerebral.

Tobias Barreto não era um filósofo sistem tica, sua doutrina continha muitas contradições. Não possuíam harmonia ao ponto de não terem uma síntese completa da filosofia ou dodireito (curso que dava aulas), segundo Clóvis Bevilacqua, "faltava-lhe o gosto pelo detalhes".

Sobressaiu-se Tobias Barreto que no início de seu pensamento baseou-se em Ernest Haeckel, apondo-se posteriormente pois conclui que a filosofia não deve ter o saber operativo, mas inquirir o conhecimento científico, tendo aí a influência do neokantismo. Porém, não chegou a estabelecer aincompatibilidade entre a epistemologia e o monismo, pois restaram-lhe poucos anos de vida. Coube a seus seguidores estabelecer a incompatibilidade dos modos de pensar (especialmente Artur Orlando).

"Contudo, a grande significação do pensamento de Tobias Barreto, no empenho de restauração a metafísica, consiste da abordagem do homem como consciência, a seu ver a única forma de retira-lo do determinismo aque o havia cingido o positivismo. Tal é o tema central da parcela última de sua obra filosófica".

"A cultura é a antítese da natureza, no sentido de que ela importa uma mudança do natural, no sentido de fazê-lo belo e bom. Designa-se pelo nome geral de natureza; o estado origin rio das coisas, o estado em que elas se acham depois do seu nascimento, enquanto uma força estranha, a força...
tracking img