A CULTURA GREGA

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3980 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de janeiro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
A CULTURA GREGA


Edna Pereira da Silva Cunha
Prof: Aldemir Coimbra
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
Licenciatura Em História – Trabalho de Graduação
14 /11/2009



RESUMO:


A cultura grega tem por objetivo apresentar e discutir itens diferentes à história cultural, educação, bem como o processo de escolarização na Grécia Antiga. Este texto faz parte de umapesquisa descritiva, história e qualitativa. A cultura, importante aspecto da educação grega, conveniente lembra, que sempre esteve intimamente ligada }à concepção de mundo e de homem que as civilizações apresentam. Não se pode estuda a educação escolar ou qualquer outra área de conhecimento, sem considerar os pressupostos filosófico da sociedade analisada e algumas instituições que detém o poder. Osgregos idealizarão um currículo que mesclava a educação e a cultura, visando a formação do homem integral, para a formação das habilidades mentais e senso estético e moral.



PALAVRAS – CHAVE: Cultura. Educação. Religião. Jogos. Estética.



1 – INTRODUÇÃO:

A cultura grega sempre exerceu grande fascínio sobre os pesquisadores. A arte, a literatura e os pensamentos gregos continuamligados ao nosso cotidiano. Prova disso são as olimpíadas modernas e culto ao corpo, assunto que ainda hoje despertam interesse nos meios de comunicação, entre estudiosos e apreciadores de esporte e estética. Todos esses valores fazem parte de um contexto maior, o modo como a sociedade grega via a ser humano: um indivíduo que deveria desenvolver amplamente suas capacidades, tanto físicas quantointelectuais.

Observa-se que, embora sendo uma instituição da natureza sobrenatural (divina), a Igreja é também organização humana. É indiscutível que seu papel e desempenho na sociedade sempre despertou o interesse dos estudiosos de maneira geral. Até mesmo as pessoas leigas são movidas por esse interesse. Fatos marcantes, como por exemplo, a Santa Inquisição, entre tantos outros de igualimportância para a história.

De tempos em tempos, as civilizações que surgiram após os gregos – inclusive a nossa – voltam seus olhos para sua cultura tão antiga, chegando mesmo a retornar alguns de seus costumes. Assim aconteceu, por exemplo, com os jogos olímpicos. Essa atividade ganhou importância no mundo ocidental na primeira metade do século XX, como uma forma de celebrar pacificamente a realidadeentre os países que se confrontam. Na verdade, as olimpíadas foram reinventadas no final do século XIX, ou seja, mais de dois mil anos depois de terem sido extintas.

2. AMOR PELO BELO
Os gregos alcançaram notável desenvolvimento cultural e artístico. O século de Péricles ou Século de ouro de Atenas (V a.C) consolidou a produção cultural anterior, que cresceu e tornou-se tão rica e fecunda queultrapassou os limites do tempo e do espaço geográfico, influenciando toda a cultura ocidental. A educação e o processo de escolarização ideal, segundo os gregos: “é para Protágoras a culminação da cultura, no seu sentido mais amplo. Tudo se engloba nela, desde os primeiros esforços do homem para dominar a natureza física até o grau supremo da auto-formação do espírito humano” (JAERCER, 1995:365).Na antiguidade para os gregos o homem educado fisicamente é verdadeiramente educado e, portanto, o belo como esclarece Sócrates “O belo é idêntico ao bom” (RUBIO, 2002, p. 110).

A educação não era considerada como um mero processo de crescimento em que o educador alimenta, favorece e guia deliberadamente. A educação física por sua vez cultiva o corpo vivo, é considerada como um ato deformação. Análogo ao da escultura, a educação pode ser considerada como a formação da alma e os meios que utiliza como forças formativas.
“o ideal da educação humana é para protágoras a culminação da cultura no seu sentido mais amplo. Tudo se engloba nela, desde os primeiros esforços do homem para dominar a natureza física até o grau supremo da auto-formação do espírito humano” (JAECER, 1995: p. 365)....