A abordagem territorial do desenvolvimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 39 (9594 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
a abordagem territorial

do desenvolvimento rural – mudança institucional ou “inovação por adição”?
Arilson FAvAreto
Introdução
m número

u

da revista estudos avançados de 2001 publicou uma interessante série de artigos num dossiê “desenvolvimento Rural”. a diversidade dos temas e alguns dos processos sociais sublinhados em boa parte dos trabalhos ali publicados mostra como não faz maissentido tratar o rural como sinônimo do agrário, que é preciso compreendê-lo, sobretudo, por sua natureza eminentemente territorial. a emergência disso que se convencionou chamar de abordagem territorial do desenvolvimento rural já foi objeto de alguns importantes trabalhos (veiga, 2000; abramovay, 2003; schneider, 2003; Favareto, 2006). sua origem está relacionada, de um lado, ao reconhecimentode novas dinâmicas espaciais, tendo como um dos marcos inegáveis o já clássico trabalho de Bagnasco (1977). de outro lado, isso acontece num momento histórico também marcado por um certo realinhamento dos instrumentos tradicionais de promoção do desenvolvimento. a descentralização das políticas e também da atividade industrial, associada à redução e a um certo redirecionamento da intervençãoestatal, contribuiu para que, particularmente nos meados dos anos 1980 e nos anos 1990, se instituísse um padrão em que, em lugar dos investimentos diretos e de corte setorial, caberia ao estado criar condições e um certo ambiente a partir do qual os agentes privados pudessem, eles mesmos, fazer a alocação, supostamente mais eficiente, dos recursos humanos e materiais. aqueles processos sociais eeconômicos de corte eminentemente territorial, e não mais meramente setorial, e esse novo padrão são, em síntese, as principais razões da emergência e consolidação dessa nova abordagem. este artigo pretende iluminar um aspecto ainda não suficientemente abordado por estudos e pesquisas dedicados ao tema: a disseminação da abordagem territorial, inicialmente por meio da moldagem de um novo discurso nosorganismos multilaterais de apoio e cooperação e, posteriormente, na sua adoção pelos governos de países da américa Latina.1 não se trata de uma avaliação ou balanço das políticas desenhadas com tal intuito, mas, antes, de uma crítica às dificuldades do estado e das sociedades em operar com a mudança de paradigma

estudos avançados

24 (68), 2010

299

contida na nova ruralidade, de maneiraa sustentar a definição e a implementação das iniciativas propostas com esse fim. embora em diálogo com uma questão normativa, o viés da análise procura proceder a uma abordagem realista de tais processos. sob o ângulo teórico, este artigo pretende demonstrar aquilo que se poderia chamar de “embeddedness da dependência de caminho”. se douglass north (2005) acertou ao descrever os mecanismos dapermanência por meio do conceito de path dependence, sua explicação para a mudança revela-se demasiado frágil e limitada às fronteiras do individualismo metodológico. Por isso, um segundo objetivo é fornecer uma espécie de crítica ou contraexemplo ao esquema esboçado em seus trabalhos mais recentes. ali ele tenta mostrar como a mudança institucional depende dos mecanismos de aprendizagem dos agentessociais e de como isso se traduz em formas de conduta. ou, em outros termos, como se formam e como agem as “estruturas mentais partilhadas”. embora north admita que as estruturas sociais funcionem como ambiente a esse processo eminentemente cognitivo que é o aprendizado, em seu modelo explicativo as instâncias mobilizadas estão, por assim dizer, dentro dos muros do individualismo metodológico:trata-se de explicar como estímulos e sanções se transformam em regras, e como regras transformam-se em formas de conduta. as próximas páginas pretendem mostrar o outro lado do muro: propriamente, como as instituições são elas mesmas expressões de conflitos e de compromissos, isto é, resultado das interações propiciadas por estruturas sociais determinadas.2 tratase, portanto, de não só abordar...
tracking img