Visao social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1500 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERPI
CENTRO DE EDUCAÇAO A DISTANCIA
CURSO SERVIÇO SOCIAL
PERIODO 3







ATPS DE ANTROPOLOGIA





COMPONENTES













TERESINA PIMAIO 2012


VISAO SOCIAL

O filme Quarto de Despejo narra o diário de Carolina, uma catadora de papéis, semi-analfabeta, negra, pobre e favelada.
Ela representa a voz dos excluídos, marginalizados por questões sociais e étnicas.
O diário registra fatos importantes da vida social e política do Brasil, iniciando-se em 1955 e terminando em janeiro de 1960. Fatos sãocontados envolvendo a opinião da autora (subjetivismo), além de considerar sobre a vida dos pobres e favelados, a atitude dos políticos, a exploração dos comerciantes e atacadistas e o desperdício de alimentos. Carolina mostra hábitos e costumes do seu meio social, observando fatos e atitudes das pessoas que conhece, destacando-se, ela mesma, como um elemento principal nessa favela. Há um tempo exterior,quando ela registra cronologicamente os fatos, e um tempo interior, nos seus momentos de reflexão.
Apesar da pouca instrução, suas descrições misturam hostilidade e lirismo.
Mineira de Sacramento, a autora foi para São Paulo, onde trabalhou como doméstica. Tornou-se catadora de papéis, de latas, ferros, e muitas vezes, de alimentos. Até ser descoberta e sair desse quarto de despejo, para semostrar ao mundo. Deixou de ser catadora para distribuir pérolas literárias. Inocentemente. Humildemente.
Anteriormente à publicação do Decreto Federal nº 7.053 no ano de 2009 a grande problemática do estudo do "morador em situação de rua" [01] tinha início com a própria conceituação jurídica de "população de rua". Este óbice sempre justificou por parte dos governantes e responsáveis pelaimplementação de Políticas Públicas a dificuldade de criação de normas protetivas, específicas para o segmento, capazes de acompanhar o perfil e as características desta população e que pudessem, por fim, delimitando o grupo analisado, verificar suas reais necessidades.
Hoje, com a criação do Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento desta população, introduzido pelo Decreto retroapontado,possibilitou-se a geração de um estudo quantitativo mais eficiente acerca das mais variadas características e especificidades do grupo analisado. E é neste sentido que as ações em parcerias firmadas entre o Governo Federal e as Secretarias de Assistência Social dos Municípios tornam-se essenciais; contribuindo através da transferência e repasse de dados das pesquisas municipais, obtidos atravésdo contato direto com indivíduos não só nos centros de triagem e abrigos como também nas ruas, tentar identificar as reais necessidades desta população. Essenciais, ainda, o desenvolvimento de ações em parcerias com gestores municipais, representantes de moradores de rua, organizações não governamentais (Ong’s), Igreja, Ministério Público e Defensora Pública para que se possam efetivar asnecessidades obtidas através dos resultados das amostras colhidas junto à população.
Dentre os princípios podemos ressaltar o respeito à dignidade da pessoa humana, direito à convivência familiar e comunitária, valorização e respeito à vida e à cidadania, atendimento humanizado e universalizado e respeito às condições sociais e diferenças das mais diversas categorias



Por fim, em relação aosobjetivos cabe frisar o acesso amplo, simplificado e seguro aos serviços e programas que integram as políticas públicas de saúde, educação, previdência, assistência social, moradia, segurança, cultura, esporte, lazer, trabalho e renda, a garantia da formação e capacitação permanente de profissionais e gestores para atuação no desenvolvimento de Políticas públicas intersetoriais, transversais e...
tracking img