Vantagens e desvantagens custeio variavel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1285 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pontos Positivo e Negativos do Custeio Variável


Entre os pontos negativos do Custeio Variável, o mais enfatizado pela literatura é a sua impossibilidade de utilização para fins fiscais e para divulgação de Balanço e DRE. Isso porque o custeio variável vai contra os princípios contábeis. Seguno Martins (2003):

Ele (o Custeio Variável) de fato fere os Princípios Contábeis,principalmente o Regime de Competência e a Confrontação. Segundo estes, devemos apropriar as receitas e delas deduzir todos os sacrifícios envolvidos para sua obtenção. Ora, se produzimos hoje, incorremos hoje em custos que são sacrifícios para a obtenção das receitas derivadas das vendas dos produtos feitos, e essas vendas poderão em parte vir amanhã. Não seria, dentro desse raciocínio, muitocorreto jogar todos os custos fixos contra as vendas de hoje, se parte dos produtos feitos só será vendida amanhã; deve então também ficar para amanhã uma parcela dos custos, quer variáveis, quer fixos, relativos a tais produtos.

Já como aspecto positivo, a literatura sustenta a importância do custeio variável na contabilidade gerencial para tomada de decisões, por esse trazer menosdistorções causadas pelos custos fixos. Conforme Bruni e Fama (2004), “em função das distorções causadas pelos rateios de custos fixos ou indiretos, no processo de tomada de decisões, sugere-se a adoção do custeio variável”.
Ainda sobre o assunto, Martins (2003) enumera 3 grandes problemas que ocorrem na contabilidade gerencial caso os custos fixos sejam considerados no cálculo do custo doproduto. Seriam eles:


Primeiro: Por sua própria natureza, os custos fixos existem independentemente da produção ou não desta ou daquela unidade, e acabam presentes no mesmo montante, mesmo que oscilações (dentro de certos limites) ocorram no volume de produção; tendem os custos fixos a ser muito mais um encargo para que a empresa possa ter condições de produção do que sacrifíciopara a produção específica desta ou daquela unidade; são necessários muito mais para que a indústria possa operar, ter instalada sua capacidade de produção, do que para produzir uma unidade a mais de determinado produto.
Segundo: Por não dizerem respeito a este ou àquele produto ou a esta ou àquela unidade, são quase sempre distribuídos à base de critérios de rateio, que contêm,em maior ou menor grau, arbitrariedade; quase sempre grandes graus de arbitrariedade
(...)
Terceiro: O valor do custo fixo por unidade depende ainda do volume de produção: aumentando-se o volume, tem-se um menor custo fixo por unidade, e vice-versa. Se se for decidir com base em custo, é necessário associar-se sempre ao custo global o volume que se tomou comobase.

Logo, conclui-se que o custeio variável é de grande valia na contabilidade gerencial, oferecendo números que são menos propensos à distorções, tornando-os mais confiáveis para a análise de tomada de decisão.
Outro aspecto que torna o custeio variável uma boa ferramenta para a contablidade gerencial é a possibilidade de utilizar os conceitos de Margem de Contribuição e Ponto deEquilíbrio

Margem de Contribuição

Margem de Contribuição pode ser definida como a diferença entre a receita e os custos e despesas variáveis. Para Leone (2000), margem de contribuição "é a diferença entre a receita proporcionada pelo produto, processo, serviço, atividade ou qualquer outro segmento da empresa e os seus custos diretos e variáveis".
Crepaldi (2002) diz que margem de contribuição“a parcela do preço de venda que ultrapassa os custos e despesas variáveis e que contribuirá (daí o seu nome) para a absorção dos custos fixos e, ainda, para formar o lucro".
Sobre a utilidade da margem de contribuição para o processo de tomada de decisões, Garisson e e Noreen (2001) a consideram como o aspecto principal na decisão da combinação mais lucrativa entre custos variáveis, custos...
tracking img