Vacinas e soros

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1617 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Vacinas e Soros
Professora: Adriana
Disciplina: Imunologia
Bethania C. Oliveira
Eidi Santos
Erika M. Pastick
Fernanda P. Oliveira
Isabela Zago
Taís Murad

Soros
Soros
Século XIX, descoberta de agentes causadores de doenças infecciosas
Desenvolvimento da soroterapia
Combater uma doença específica
A princípio eram produzidos soros contra o veneno de serpente
Em 1901, origem aoInstituto butantan em são Paulo

Produção de vacinas para a saúde pública
Soros e vacinas são produtos de origem biológica (imunológicos)
Soros: contém anticorpos
Vacinas: contém agentes infecciosos
Em 1984, foram criadas novas tecnologias para a produção de vacinas

A Produção de Soros
Produção
Extração do veneno
Liofilização
Hiperimunização
Sangria final
Anticorpos encontrados noplasma
Purificação e concentração do plasma
Plasmaferese
Obtenção do soro

Atividade biológica
Esterilidade
Inocuidade
Pirogênio
Testes fisio químicos

Vacinas
Vacinas
Toxóide tetânico
Vacina dupla (dT)
Vacina tríplice (DTP)

Calendário Oficial de Vacinação Infantil 2012
Calendário

Vacinas e suas particularidades
Vacinas
Intervalos entre doses da mesma vacina
Intervalossuperiores ao recomendado
Intervalos inferiores ao recomendado
Intervalos entre a administração de vacinas e a prova tuberculínica
Reforços
Intervalos recomendados entre as doses de vacinas diferentes que contém vírus
vivos e atenuados
Aplicação simultânea

Vantagens e desvantagens da vacina oral contra a poliomielite
Vantagens

Desvantagens

Grande capacidade de produção anual (cercade dois bilhões de doses/ano)

Armazenamento a granel em
baixas temperaturas

Baixo custo

Risco de poliomielite paralítica
associada à vacina

Administração oral

Possível interferência de
outros patógenos intestinais
(em regiões tropicais)

Melhor proteção comunitária

Necessidade de manutenção
de cadeia de frio 9estocagem
e transporte) devido à
termolabilidade

Proteçãoindireta por
transmissão a comunicantes

Risco de mutantes vacinais
patogênicos manterem-se em
circulação no ambiente

Vacinação contra a difteria e o tétano (dT – dupla adulto) no
período gestacional
Durante a
gestação
Gestantes nunca
vacinadas
previamente
contra
difteriatétano

Reforços da
vacina

2 doses de dT, 1
dose
6-12
administradas com meses após a
intervalo de30-60 segunda dose
dias

Gestantes com 1 Completar
ou
2
doses esquema de
previamente
doses
administradas

3

A cada 5-10 anos

Gestante
com Administrar
1 A cada 5-10 anos
série
primária dose,
se
completa (3doses transcorridos mais
dT)
de 5 anos da
última dose

Vacinas não oferecidas gratuitamente
na rede pública de saúde
na
1.) Antimeningocócica tipo C - Meningitemeningocócica - Doses aos 3, 5 e 12 meses
2.) PCV7 heptavalente - Infecções pelo pneumococo - Doses aos 2, 4, 6 e 15 meses
3.) Influenza - Gripe - Doses aos 6 e 12 meses
4.) Varicela - Catapora - Dose única aos 12 meses
5.) Anti-Hepatite A - Hepatite A - Dose aos 12 e 18 meses
6.) Papilomavírus - HPV - doses ao 12 anos com reforços após 2 e 6 meses

Vacinação de adultos e idosos
Vacinação
1.)dT (Dupla tipo adulto) - Contra Difteria e Tétano - Reforço a cada 10 anos
2.) Vacina contra febre amarela - Reforço a cada 10 anos se morar em área de risco. Se
viajar para áreas de risco, vacinar contra Febre Amarela 10 (dez) dias antes da viagem.
3.) Vacina Contra Hepatite B (em não imunizados durante a infância) - 3 doses (2ª dose 2
meses depois e 3ª dose 6 meses após a primeira)
4.)Influenza - Antigripe - Anualmente após 60 anos
5.) Anti-Pneumococo (23 sorotipos) - pneumonia - Dose única em maiores de 60 anos.
Reforço após 5 anos.

Efeitos colaterais e contraindicações
As vacinas produzidas com vírus ou bactérias atenuados não devem ser administrados em
gestantes ou imunossuprimidos como pacientes portadores de SIDA (AIDS), em
quimioterapia, transplantados e etc......
tracking img