Transporte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1043 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, V. 14, N. 29, P. 35-60, JUN. 2008

SIMONE SAISSE LOPES MARCELO PORTEIRO CARDOSO MAURÍCIO SERRÃO PICCININI*

RESUMO O transporte de carga no Brasil, especialmente por rodovias, tem mau desempenho quando comparado a parâmetros internacionais. Este texto apresenta um panorama do transporte rodoviário de carga no país, com o propósito de revelar algumas dasfontes de ineficiência e de investigar a possibilidade de melhoria através de financiamento. A análise está focada nos operadores de transporte de carga – empresas e caminhoneiros. A conclusão é que um espaço importante para melhoria reside na frota dos transportadores autônomos. Argumenta-se que crédito é fundamental e que levá-lo a esse público permanece como desafio para o BNDES.

ABSTRACT Freighttransportation in Brazil, especially by truck, performs poorly as regards to international standards. This text presents an overview of road freight transportation in the country with the aim of shedding light on some of the sources of inefficiency and on possible room for improvement through financing. The analysis focuses on freight operators – both firms and truck drivers – and concludes that amajor room for improvement stands on the fleet owned by self-employed truck drivers. It is argued that credit availability is crucial and that reaching this people remains as a challenge to BNDES loans.

* Respectivamente, economista, administrador e engenheiro da Área de Operações Indiretas do BNDES. Os autores agradecem a colaboração de Pablo Silva Teixeira, os comentários de dois pareceristasanônimos e, em especial, as críticas e sugestões de Wagner Cardoso.

36

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA E O PAPEL DO BNDES

1. Introdução
O transporte de carga é um serviço fundamental na cadeia de produção e distribuição de bens industriais e agrícolas. O Ministério dos Transportes estima que 58% desse transporte é realizado através de rodovias, o que faz do transporte rodoviário no país umfator determinante da eficiência e da produtividade sistêmica da economia. Comparações internacionais revelam que há espaço significativo para melhoria da eficiência da atividade no Brasil. O propósito deste artigo é explorar, com base em um exame breve do perfil do setor, a existência de espaços de atuação relevantes para um banco de desenvolvimento e analisar em que medida esse espaço vem sendoocupado pelo BNDES. As informações analisadas foram obtidas de fontes diversas, todas disponíveis ao público. A investigação tem como foco os transportadores – empresa e autônomos. Aspectos referentes à infra-estrutura, como as condições das rodovias, ainda que relevantes nas discussões sobre competitividade sistêmica, não foram considerados. O artigo está dividido em nove seções. A seção seguinte aesta introdução descreve como está estruturado o setor e inclui um panorama da frota de veículos de carga. A descrição aborda os diferentes tipos de transportadores – empresas, autônomos, cooperativas e informais. As principais empresas transportadoras são identificadas nessa seção. Na terceira seção, apresentam-se os resultados financeiros da atividade e das maiores empresas, para os anos de 2005 e2006, respectivamente. Nas duas seções seguintes descrevem-se os impostos incidentes sobre a atividade e a participação do transporte rodoviário no conjunto do transporte de carga. A sexta seção compara, sob critérios selecionados, o desempenho da atividade no Brasil com o parâmetro internacional. A sétima seção examina o financiamento à atividade e a oitava trata de desempenho recente eperspectivas do transporte rodoviário de carga. A última seção apresenta a síntese e as conclusões do trabalho.

2. Caracterização do Setor
2.1 Empresas
As informações mais abrangentes sobre a estrutura do transporte são as registradas pela Pesquisa Anual de Serviços (PAS), do IBGE, segundo a qual

REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, V. 14, N. 29, P. 35-60, JUN. 2008

37

eram 63 mil as empresas...
tracking img