Trabalhos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2688 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho de História

Nome: Amanda Fittipaldi
Série: 3º EM B

01/03/12




Colégio Adventista de Diadema

Hitler e Stalin: Segunda Guerra Mundial

Professor: Fabio
Aluna: Amanda Fittipaldi
3º EM B

Índice
Segunda Guerra Mundial
Causas
Stalin
Biografia
Morte
DeportaçõesDepurações
Adolf Hitler
Segunda Guerra Mundial
A derrota e o suicídio
O testamento de Hitler

Introdução
Este trabalho falara sobre as causas da segunda guerra mundial e suas vitórias iniciais para Hitler.
Falará sobre Josef Vissarionovitch Stalin, nascido em uma pequena cabana na cidade georgiana de Gori, filho da costureira Ketevan Geladze (1858-1937) e do sapateiro BesarionJughashvili (1849 ou 1850 - 1909), o jovem Stalin teve uma infância difícil e infeliz. E como foi sua morte, suas deportações e depurações.
Falará também sobre Adolf Hitler que foi o líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães  (em alemão Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, NSDAP), também conhecido por Partido Nazi ou nazista , uma abreviatura do nome em alemão(Nationalsozialistische), sendo ainda oposição aos sociais-democratas, os Sozi.Hitler se tornou chanceler e, posteriormente, ditador alemão. Como foi sua derrota, suicídio e seu testamento.

Segunda Guerra Mundial
Causas
A 1ª Guerra Mundial prepara a irrupção da 2ª Guerra Mundial. O período de entre guerras deve ser compreendido apenas como uma trégua. As humilhantes condições impostas à Alemanha, em 1918,propiciam o surgimento do nazismo em solo alemão. A ascensão de Adolf Hitler ao poder, em 1933, é sustentada pela exaltação ao nacionalismo e por propostas militaristas e expansionistas. Hitler deseja construir uma "nova ordem", exigindo a participação alemã na exploração do mundo colonial, rico em matérias-primas, e até então repartido entre os vitoriosos do primeiro conflito mundial. O Fuhrerambiciona também conquistar os mercados vizinhos da Europa Central para controlar o petróleo da Romênia e do Cáucaso, o carvão e o ferro da Sibéria e o trigo da Ucrânia. As potências ocidentais pressentem o perigo nazista, mas permitem o seu crescimento como forma de bloqueio à União Soviética, um "cordão sanitário" contra o avanço do comunismo sobre a Europa.
Em 1935, a Alemanha reinicia a produçãode armamentos e restabelece o serviço militar obrigatório, em claro desrespeito ao Tratado de Versalhes (1919). Um ano depois, reocupa a Birmânia e inicia uma política estratégica de alianças. Oferece ajuda econômica à Itália fascista de Benito Mussolini (1883-1945), sob embargo da Liga das Nações por ter invadido a Etiópia. Apóia Francisco Franco (1892-1975) na Guerra Civil Espanhola (1936-1939),aproveitando o conflito para testar novos engenhos militares. Assina com o Japão o Pacto Anti-Comintern, em 1936, a fim de conter a expansão comunista da União Soviética, com a adesão da Hungria, Itália e Espanha. Justifica a anexação (Anschluss) da Áustria, em 1938, por se tratar de mais um povo germânico. No ano seguinte, alcança, com a conivência inglesa e francesa na Conferência deMunique, a incorporação de parte da Tchecoslováquia, exatamente a região dos Sudetos, conhecida por abrigar minorias alemãs. Cria os protetorados da Boêmia e da Moldávia, desmembrando o restante do território tcheco, em março de 1939. Por fim, aproveita as desconfianças soviéticas emrelação às potências ocidentais para assinar um acordo, por cinco anos, de não-agressão e neutralidade com o seu arquiinimigo, Josef Stalin (1879-1953): o Pacto Germânico-Soviético, de 23 de agosto de 1939. Tem aberto assim o caminho a leste para atacar a Polônia, em nome do que lhe fora arrebatado pelo Tratado de Versalhes: a devolução da zona conhecida por "Corredor Polonês", a do porto de...
tracking img