Trabalhos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1602 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
QUAL A ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA
PREVENÇÃO DA DEPENDENCIA QUÍMICA?

“Buscamos por meio desta pesquisa verificar a atuação da pedagogia como uma forma de promover a prevenção do uso de drogas licitas e ilícitas, não só nas dependências de instituições de ensino bem como no convívio social e familiar do educando.
Buscamos também esclarecer dúvidas referente ao tema, considerado tabu como camposomente de especialistas, tão descriminado nos meios educacionais, e demonstrar o quanto é importante debater este tema, tanto em sala de aula com os educandos quanto em outros espaços sócio educativos,

“A escola não deve esperar que o problema surja na sala de aula, nos banheiros, no pátio, no portão para discutir a questão.”
Detoni, Marcia
Guia prático sobre drogas, 2ª edição2009.

HIPÓTESE:
O papel do pedagogo é de formar cidadãos capazes de analisar e diferenciar o que é bom ou não, de fazer suas escolhas, de refletir se isso afetará ou não a sua vida e de outras pessoas. A prevenção do uso de drogas não foge do contexto escolar e deve ser vista de forma transversal aos conteúdos curriculares. É papel dopedagogo trabalhar formas de prevenção do uso de drogas (licitas/ilícitas) de maneira que venha a contribuir com informações necessárias aos nossos alunos, instituição e comunidade em si. É uma maneira de sensibilizá-los em um ambiente próprio.             

PEDAGOGO NA PREVENSÃO.
O consumo de drogas cresce a cada dia, pois ela não escolhe religião, raça, nível social ou cultural; está presente emtodos os lugares e realidades desde muito tempo. Esse aumento pode ser atribuído a vários fatores, principalmente aos que se referem na transmissão da informação sobre a droga e quem a recebe. A prevenção do uso indevido de drogas é essencial para a o alerta sobre os riscos e perigos causados por elas. As ações de prevenção ao uso de drogas nas escolas não devem ser isoladas ou tratadas fora docontexto de uma prática pedagógica.
A escola é parte da sociedade, por isso a importância de se desenvolver tal assunto neste ambiente, mostrando que a prevenção é o caminho necessário para se coibir o uso, e o pedagogo é peça fundamental para que isso ocorra, principalmente quando recordamos que há poucas décadas as escolas evitavam incluir na proposta pedagógica atividades de prevenção com seusalunos ditos “problema”. Elas preferiam simplesmente expulsá-los, como forma de punição – mesmo sendo contra a Lei.
Devemos trabalhar de uma forma que auxilie nossas instituições; pois nossas crianças estão vivendo em uma sociedade que as drogas estão presentes e por falta de melhores informações adequadas a este público os riscos são diários de que se tornem mais um usuário. É necessário termosuma visão inovadora e desenvolver uma forma mais pedagógica e dentro de um ambiente apropriado para nossos alunos. Surge então à necessidade de se olhar de frente esta situação e de se propor a solucioná-la, buscando iniciativas da comunidade docente para envolver essas crianças e adolescentes. E o primeiro passo é banir o discurso do “aqui não tem, ou não existe drogas”, e reconhecer que elas estãoem todo lugar.

A escola é o lugar idôneo para um trabalho educacional de prevenção do uso de drogas, pois quem compõe a escola são pessoas, e estas podem ou não ter idoneidade, por isso à escola tem um papel básico no processo educativo.
Já a idéia que Ávila nos passa é que, a iniciação do consumo de drogas está em torno dos 12 anos, e que a escola tem certa vulnerabilidade em relação aisso, já que a escola faz uma ligação entre família, sociedade, cultura e profissão; e o tráfico encontra em suas proximidades sua melhor clientela; por se tratar de jovens e crianças desinformadas, cheios de sonhos, ideais, sempre cobrados e afetivamente carentes e instáveis, tornando-se alvos fáceis de certo tipo de conversa amigável e sedutora. (ÁVILA, 1998, p.152).
Em seu livro o autor Murad...
tracking img