Trabalho pronto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1301 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
JORNALISMO ESPORTIVO
Um pouco sobre o jornalismo esportivo e os novos tempos
Com o crescimento do jornal impresso, surgiu a necessidade de falar de esporte de uma maneira muito mais direcionada e pertinente, fazendo crescer os cadernos e as seções especiais dedicadas ao jornalismo esportivo. Hoje, este tipo de jornalismo vem se dedicando totalmente centrado no interesse do público consumidor –na sua vendagem – sem excluir as suas técnicas normativas do jornalismo, é claro, mas se adequando aos novos tempos.
O efeito da evolução midiática reflete diretamente no modo de se produzir conteúdos informativos e na maneira de se retransmitir as notícias, exigindo que, a cada dia, o jornalismo se modifique e se alinhe ao entretenimento.

A linguagem do jornalismo tem sofrido grandes mudançasdesde a chegada de novas mídias. O Jornalismo Esportivo, por exemplo, sentiu de perto essa evolução brusca, principalmente pelo domínio da internet. A internet na mídia está causando uma reformulação na perspectiva de outros veículos de comunicação porque com ela a informação passou a ser levada ao público de forma muito mais veloz.

Segundo especialistas no assunto, a linguagem em todas aseditorias, principalmente na esportiva, mudou devido a uma transformação que busca um conteúdo muito mais voltado com o imediatismo. É o que explica Alberto Ludivig, editor da Web TV da Federação Paulista de Futebol, e que está no jornalismo há mais de 30 anos, com experiência nas principais mídias. “Desde o final da década de 80, as grandes empresas de comunicação passaram a ter uma visão maiscomercial do jornalismo. E, como um produto, era preciso entregar a notícia o mais rápido possível, contemplando prioritariamente a publicidade. As edições passaram a ser fechadas muito mais cedo. Os repórteres passaram a apurar o material de maneira mais superficial, obedecendo a regras rígidas de horários de fechamento. O jornalismo esportivo, em si, seguiu essa onda com uma linguagem mais ‘urgente’,sem muita contextualização”, ressaltou Ludivig que, de acordo com ele, “O mundo mudou, está mais veloz, ninguém suporta mais uma programação lenta, com reportagens que ultrapassem 20 linhas ou que, no caso da tevê, ultrapasse um minuto”, ele completa.

Na Rede Globo, por exemplo, a transformação da linguagem ficou evidente a partir do momento em que um novo modelo de telejornal esportivoganhou espaço.
Primeiro aconteceu com o Globo Esporte, que deixou de apresentar suas notícias diárias no mesmo modelo “convencional” e permitiu o entretenimento entrar pra ficar mais próximo do telespectador. A inovação aconteceu por iniciativa do apresentador Tiago Leifert que percebeu que a mudança no estilo de se fazer um programa de esportes precisaria de um “algo a mais”, inclusive para resgatara audiência do programa que estava em forte decadência. O Fantástico, seguiu a mesma linha, só que agora com o Tadeu Shimidt, transformando a notícia esportiva num programa de entretenimento, porém sem alterar o conteúdo da informação. Assim, Ludivig acredita então que, os jornalistas estão se adaptando naturalmente a essa nova vertente e que “hoje em dia não existe mais espaço para um jornalismoesportivo muito concentrado na informação pura e simples, com angulações diferenciadas sobre um mesmo assunto. Ele (jornalismo esportivo) tem enveredado, realmente, para o entretenimento. Eu diria que, hoje, em primeiro lugar vem o marketing, ou seja, a forma, o conceito do programa, e, depois, a notícia”.

Mas existem outras questões também que ainda mexem com alguns especialistas no assunto.Uns acreditam que é diferente o modo de se fazer jornalismo na TV aberta e o no canal a cabo. Para o professor Universitário, que já foi editor de esportes, Wagner Belmonte, o jornalismo esportivo na televisão aberta é sinônimo de show. Enquanto na TV a cabo existe uma liturgia, um respeito maior, às vezes até poético, em relação à linguagem. “O Cléber Machado é um bom cara a ser estudado....
tracking img