Toleranciamento geral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4707 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CFAC: Toleranciamento Geral

FEUP/DEMEGI/SDI

CFAC – Concepção e Fabrico Assistidos por Computador

Toleranciamento Geral
João Manuel R. S. Tavares

Bibliografia
• • Simões Morais, José Almacinha, “Texto de Apoio à Disciplina de Desenho de Construção Mecânica (MiEM)”, AEFEUP, 2007 Simões Morais, “Desenho técnico básico 3”, ISBN: 972-96525-2-X, Porto Editora, 2006

@2007 João ManuelR. S. Tavares

CFAC: Toleranciamento Geral

2

@2007 João Manuel R. S. Tavares

1

CFAC: Toleranciamento Geral

FEUP/DEMEGI/SDI

Índice
• • • • • • • Tolerâncias Gerais; Tolerâncias para dimensões lineares e angulares sem indicações de tolerâncias individuais (ISO 2768-1: 1989); Tolerâncias geométricas para elementos sem indicações de tolerâncias individuais (ISO 2768-2: 1989);Tolerâncias dimensionais e geométricas gerais e sobreespessuras para trabalho mecânico para peças moldadas (ISO 8062-3); Soldadura – Tolerâncias gerais para construções soldadas – Dimensões para comprimentos e ângulos – Forma e posição (ISO 13920); Conceitos para o toleranciamento geral de características geométricas; Cotagem e toleranciamento de peças não rígidas (ISO 10579).
CFAC: ToleranciamentoGeral 3

@2007 João Manuel R. S. Tavares

Tolerâncias Gerais
• Tolerâncias gerais para peças obtidas por arranque de apara:
• O toleranciamento no desenho deverá ser completo, afim de assegurar que os aspectos dimensionais e geométricos de todos os elementos estejam limitados, isto é, nada deve ser deixado ao critério do pessoal da oficina ou do serviço de controlo. A utilização detolerâncias gerais dimensionais e geométricas simplifica a tarefa de assegurar o cumprimento deste pré-requisito.





Tolerâncias para dimensões lineares e angulares sem indicações de tolerâncias individuais (ISO 2768-1: 1989):
• As tolerâncias para as dimensões sem indicação directa de tolerância são especificadas segundo quatro classes de tolerância (f - fina, m - média, c grosseira e v -muito grosseira). Dizem respeito a dimensões de peças obtidas por arranque de apara ou executadas em chapa.

@2007 João Manuel R. S. Tavares

CFAC: Toleranciamento Geral

4

@2007 João Manuel R. S. Tavares

2

CFAC: Toleranciamento Geral

FEUP/DEMEGI/SDI

Tolerâncias para dimensões lineares e angulares sem indicações de tolerâncias individuais (ISO 2768-1: 1989)
• Esta normaaplica-se, exclusivamente, às seguintes dimensões sem indicação de tolerância:
• • • dimensões lineares; dimensões angulares, incluindo aquelas que não são indicadas, como os ângulos rectos (90º), a menos que se aplique a ISO 2768-2.; dimensões lineares e angulares obtidas ao maquinar peças montadas. dimensões lineares e angulares cujas tolerâncias gerais são definidas através de referência a outrasnormas de tolerâncias gerais (ex.: ISO 8062 e ISO 13920); dimensões auxiliares, indicadas entre parêntesis; dimensões teoricamente exactas, indicadas num quadro rectangular.



Por outro lado, esta norma não se aplica às seguintes dimensões:
• • •



A escolha de uma classe de tolerância deve ter em conta a exactidão oficinal corrente.
CFAC: Toleranciamento Geral 5

@2007 João ManuelR. S. Tavares

Tolerâncias para dimensões lineares e angulares sem indicações de tolerâncias individuais (ISO 2768-1: 1989)
• • As tolerâncias gerais para as dimensões lineares e angulares aplicam-se se os desenhos fazem referência à norma ISO 2768-1. Valores das tolerâncias dimensionais lineares e angulares gerais:
• • Os valores estão indicados, nas tabelas, em termos dos respectivosdesvios admissíveis simétricos. As tolerâncias para as dimensões angulares estão indicadas em função do comprimento do lado mais curto do ângulo considerado.

@2007 João Manuel R. S. Tavares

CFAC: Toleranciamento Geral

6

@2007 João Manuel R. S. Tavares

3

CFAC: Toleranciamento Geral

FEUP/DEMEGI/SDI

Tolerâncias para dimensões lineares e angulares sem indicações de tolerâncias...
tracking img