Teorias de Weber

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3540 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de março de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Origens da Teoria da Burocracia

Autor: Ader Fernando Alves de Pádua
1 INTRODUÇÃO

A Burocracia é a necessidade que as organizações tem, para alcançar os
objetivos estabelecidos, de maneira rápida e eficaz, através de normas e regras,
proporcionando o mínimo possível de atrito entre superiores e subordinados.

Ao longo deste artigo serão colocadas as origens, formas, e características decomo burocracia esta estabelecida no interior das organizações, e como ela conduz
de forma racional o relacionamento entre superiores e subordinados.

Será abordado a importância da burocracia dentro das organizações, nos
mostrando o modo racional, de como é definido cada passo tomado pelos seus
Administradores através do poder.

1

2 ORIGENS DA TEORIA DA BUROCRACIA

2.1 ConceitosA burocracia é uma forma de organização humana que se baseia na
racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos objetivos (fins) pretendidos, a fim
de garantir a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos.

Autoridade significa a probabilidade de que um comando ou ordem especifica
seja obedecido. Ela representa o poder institucionalizado e oficializado.

O poder é apossibilidade de imposição de arbítrio por parte de uma pessoa
sobre a conduta das outras, autoridade é ter poder, pois ter poder nem sempre
significa autoridade.

Legitimidade é a capacidade de justificar seu exercício. É o motivo que
explica porque um determinado numero de pessoas obedece a ás ordens de
alguém, conferindo-lhe poder.

A dominação é uma relação de poder na qual o governante(dominador) ou
pessoa que impõe seu arbítrio sobre as demais acredita ter o direito de exercer o
poder, e os governados (dominados) consideram como sua obrigação obedecer-lhe
as ordens.

2.2 Tipos de Sociedade

Weber distingue três tipos de sociedade:
a) Sociedade

tradicional,

onde

predominam

características

patriarcais

e

patrimonialistas, como a família, o clã, a sociedademedieval etc.;
b) Sociedade carismática, onde predominam características místicas, arbitrárias e
personalísticas, como nos grupos revolucionários, nos partidos políticos, nas
nações em revolução etc.;

2

c) Sociedade legal, racional ou burocrática, onde predominam normas impessoais e
racionalidade na escolha dos meios e dos fins, como nas grandes empresas, nos
estados modernos, nosexércitos etc.

2.3 Tipos de autoridades

A cada tipo de sociedade corresponde, para Weber, um tipo de autoridade.
“autoridade significa a probabilidade de que um comando ou ordem específica seja
obedecido”. A autoridade representa o poder institucionalizado e oficializado. Poder
implica potencial para exercer influencia sobre as outras pessoas. Poder significa,
para Weber, a probabilidade deimpor a própria vontade dentro de uma relação
social, mesmo contra qualquer forma de resistência e qualquer que seja o
fundamento dessa probabilidade.

A autoridade – e o poder dela decorrente – depende da legitimidade, que é a
capacidade de justificar seu exercício. A legitimidade é o motivo que explica por que
um determinado número de pessoas obedece às ordens de alguém, conferindo-lhepoder. Essa aceitação, essa justificação do poder é chamada legitimação. A
autoridade é legítima quando é aceita. Se a autoridade proporciona poder, o poder
conduz à dominação. Dominação significa que a vontade manifesta (ordem) do
dominador influência a conduta dos outros (dominados) de tal forma que o conteúdo
da ordem, por si mesma, se transforma em norma de conduta (obediência), para ossubordinados. As crenças que legitimam o exercício do poder existem tanto na
mente do líder com na dos subordinados. Tais crenças determinam a relativa
estabilidade da dominação, ao mesmo tempo em que retratam as diferenças básicas
entre os diversos sistemas de dominação. Weber estabelece uma tipologia de
autoridade, baseando-se não nos tipos de poder empregados, mas nas fontes e
tipos de...
tracking img