Teoria ampliada do estado de gramsci

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1082 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE
FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS
CURSO DE SERVIÇO SOCIAL











Rebeca Dias Coelho
Célia do Carmo Rabelo








A TEORIA AMPLIADA DO ESTADO DE GRAMSCI NA CONTEMPORANEIDADE BRASILEIRA















Governador Valadares/MG
2011

REBECA DIAS COELHO
CÉLIA DO CARMO RABELO



A TEORIA AMPLIADA DO ESTADO DEGRAMSCI NA CONTEMPORANEIDADE BRASILEIRA









Trabalho referente à teoria de Gramsci de Estado ampliado destacando sua associação com atualidade brasileira e a importância para Gramsci desta teoria para compreensão da história do Brasil.

Professor: Ronan César Godoy da Costa.


















Governador Valadares/MG
2011


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...................................................................................................... 01
2 TEORIA DE GRAMSCI NA ATUALIDADE BRASILEIRA ................................... 02
3 CONCLUSÃO ....................................................................................................... 04
4 REFERÊNCIAS.................................................................................................... 05



























INTRODUÇÃO

Antonio Gramsci, grande jornalista e uma das referências essenciais do pensamento de esquerda no século 20, co-fundador do Partido Comunista Italiano e freqüentador de círculos socialistas, define em sua teoria dois tipos de países, os “orientais” e os “ocidentais”. De acordo com ele países nos qual o desenvolvimentose deu através da revolução passiva possuem a “sociedade políticas” que são conjuntos militares e burocráticos de soberania, poder absoluto, e os que a que está sempre debaixo das ordens que é a “sociedade civil” sendo ela constituída por conjuntos “privados” em luta pela superioridade em pelo comando político moral.
Se a teoria de Gramsci para definir “ocidente” de “oriente” se limitassesomente a essas definições sendo o Brasil desenvolvido através da Revolução passiva, ele não se enquadraria na teoria “ampliada” do Estado de Gramsci, por não ser “ocidentalizado”. Porém, a definição dele não fica restrita.


“Recordaremos a célebre passagem de Gramsci: ‘No oriente o Estado era tudo, a sociedade civil era primitiva e gelatinosa; no ocidente, entre Estado e sociedade civil havia umajusta relação e, quando se dava um abalo do Estado, percebia-se imediatamente uma robusta estrutura da sociedade civil’”. (p. 208)


Ele expõe que uma formação social, pode passar a ser “ocidental” tendo então um Estado “ampliado”, existindo assim uma “justa relação” entre a sociedade civil e o Estado.









TEORIA DE GRAMSCI NA ATUALIDADE BRASILEIRA

Durante um longo período, aSociedade brasileira mostrava fortes traços de modelo "oriental", sendo sua "sociedade civil" “primitiva e gelatinosa" e um Estado muito forte. Algumas mudanças dão início com a República principalmente a partir dos anos 20 algumas transformações começam a aparecer. O capitalismo passa a ser o modo de produção predominante do país. "[...] crescem os sindicatos operários e aumentam as greveseconômicas e políticas; as camadas médias exigem uma maior participação na vida política, [...]". (p.214). Porém, com a queda da ditadura e a volta da democracia em 1945, que se torna mais perceptível a "ocidentalização" da sociedade brasileira. Apesar de em 1964 com o "Golpe de Estado" esse processo sofrer uma desaceleração, com a deslocação de massa em 1984, defendendo a eleição direta para Presidênciada República, chega ao fim a ditadura militar e atinge-se o ponto mais alto do avigoramento da sociedade civil.
Através da teoria de Gramsci pode-se definir o Brasil  atual como "ocidental", sendo o país com a presença freqüente de sindicatos operários, partidos de caráter nacional e democracia. A boa relação entre sociedade civil e Estado também pode ser verificada na contemporaneidade...
tracking img