Surdez

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3146 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Para o ser humano o sistema auditivo é parte integral de sistema de comunicação, e em nossa sociedade a comunicação é predominante e isto se tornará uma barreira ao indivíduo que tenha problemas auditivos. Para que isso não ocorra é necessário que este sujeito seja acolhido pelos membros da sociedade desde seu nascimento e que receba a educação que cabe aos que sofrem com aperda auditiva.
O presente trabalho nos traz informações sobre o tema Surdez, seja de forma congênita, e não congênita, abordando causas, prevenções bem como o ingresso do sujeito com esta deficiência na comunidade escolar.

Surdez

É de conhecimento de todos que hoje, sujeitos com deficiências auditivas estão sendo cada vez mais, inseridos e bem acolhidos nas comunidades, eque a capacidade e intelectualidade destes, estão por muitas vezes acima daqueles que se consideram pessoas normais.
Para entendermos melhor estas pessoas com dificuldades auditivas precisamos anteriormente entender o porquê elas se encontram nessas condições.
De início compreenderemos que pode ocorrer a surdez cujas causas podem ser:
- história de antecedentes hereditários,- infecções perinatais,
- anomalias na cabeça e pescoço,
- peso inferior a 1500gr ao nascer,
- elevados níveis de bilirrubina neonatal
- baixo índice de Apgar ao nascer;
- meningite;
- sífilis neonatal;
- entre outros.
Enfim, estes distúrbios e outros mais, ocorridos podem ser divididos em duas classes: genéticas e não genéticas. Osfatores genéticos podem ser hereditários, ou seja, de uma geração à outra e congênitas (que passam da mãe para o bebe ainda no útero).
Sobre as causas congênitas, há uma série de complicações que podem surgir antes, durante ou depois o período gestacional.
Várias doenças fazem parte deste processo, entretanto trataremos das mais recorrentes, as que podem acontecer com maior facilidade,mas que em sua maioria tem tratamento, podendo não trazer tantos prejuízos para o bebe e cuja maior prevenção é a informação.
Mesmo ocorrendo com maior facilidade, uma ou outra doença só será de conhecimento da gestante e seu parceiro, no momento em que o médico obstetra pede uma bateria de exames no primeiro trimestre da gestação.
São elas:

TOXOPLASMOSE

Atransmissão pode ocorrer pelo contato com fezes de gatos que são os hospedeiros do protozoários Toxoplasma Gondii; o gato excreta as fezes e se o ser humano tiver contato com as fezes poderá ser infectado; bem como a infecção pode ocorrer pela ingestão de carnes cruas, mal cozidas ou frutas, verduras e legumes que estejam mal lavados, bem como o leite consumido deve ser o pasteurizado, já que este, estátotalmente seguro quanto ao processo, ou seja, desde a ordenha ao consumo.
Depois de exposto à doença pela primeira vez, toda pessoa desenvolve imunidade contra o parasita e dificilmente torna a adoecer, a mulher que já teve Toxoplasmose não desenvolve risco de contaminar o feto, pois já está imunizada; o problema maior é quando a gestante que nunca teve a doença é infectada e quando constatadao tratamento ocorre com a administração de antibióticos, evitando assim qualquer prejuízos para o feto. A gestante deve evitar fazer trabalhos de jardinagem e se fizer que o faça com o uso de luvas e deverá lavar bem as mãos após a atividade.
A doença é detectada por exames de sangue, e se não tratada pode levar à morte fetal e abortamento ou ainda pode ocorrer hidrocefalia, calcificaçãointracraniana e perda auditiva, o exame pata identificação da Toxoplasmose é realizado no início, durante e ao final da gestação.

RUBÉOLA

A gestante pode ser infectada pelas vias respiratórias sendo transmitida ao feto pela corrente sanguínea, e pode acarretar em abortos, parto prematuro, malformações congênitas, defeitos no coração e rins, cataratas, anormalidades nas orelhas,...
tracking img