Sociedades em redes/comunidade virtuais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3406 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULADE DE TECNOLOGIA DE TAQUARITINGA
TECNOLOGIA DE PRODUÇÃO



Sistemas ERP II



SOCIEDADES EM REDES
COMUNIDADES VIRTUAIS


DISCENTE:






DOCENTE:













2011

Sumário

1. INTRODUÇÃO 3
2. A TECNONLOGIA DA INFORMAÇÃO 4
3.RELACIONAMENTO SOCIAIS NO CIBERESPAÇO 5
3.1.RELACIONAMENTO SOCIAS NO CIBERESPAÇO7
4.1 FUNDAMENTOS INERENTES A SISTEMAS DE WORKFLOW 8
4.2 VANTAGENS E FUNCIONALIDADES 9
4.3 ARQUITETURAS DE SISTEMAS DE WORKFLOW 10
4.4 Administrativo 10
4.5 Produção 11
4.6 MODELAGENS DE SISTEMAS DE WORKFLOW 11
5- SISTEMAS ERP 13
5.1- Estruturas típicas dos sistemas ERP 14
5.2- Implantações de sistemas ERP 14
Benefícios da utilização de sistemas ERP 15
Utilização de sistemas ERP noprocesso de desenvolvimento de produtos 15
Sobreposição de funções e integração entre sistemas ERP e PDM 16
Sobreposição de funções e integração entre sistemas ERP e CAPP 17
DIFERENCIAL DP GRUPO: Gerenciamento de Projeto de um Portal Corporativo: PROPOSTA DE ESCOPO 17
PRINCÍPIOS DE POLÍTICA E GOVERNANÇA DO PORTAL 29
8- Conclusões 46
REFERÊNCIAS 48

1. INTRODUÇÃO
Uma série de acontecimentosmarcados pelo desenvolvimento das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs), pelo aperfeiçoamento da Comunicação Mediada por Computador (CMC), surgimento da rede Internet e do ambiente virtual ou ciberespaço, tem alterado significativamente a organização dos sistemas sociais, políticos e econômicos em âmbito mundial. No campo cultural, o impacto tecnológico refletiu na constituição deuma nova cultura, a cibercultura, e de uma nova forma de estabelecimento de relações sociais por meio da rede, a sociabilidade (CASTELLS, 1999a). Assim, vivemos o que Castells (1999a) denominou de era da informação ou era do conhecimento, caracterizada pela mudança na maneira de comunicar da sociedade e pela valorização crescente da informação nessa nova configuração da estrutura vigente, à medidaque a circulação de informações flui a velocidades e em quantidades até então inimagináveis. Nesse contexto que possibilita a comunicação mais ágil entre os indivíduos independentemente da localização geográfica e em meio a um quadro de mudanças confusas e incontroláveis, manifesta-se uma tendência nas pessoas de se reunirem em grupos sociais visando compartilhar interesses em comum,passando-se a viver uma realidade diferente, na qual as barreiras espaciais, temporais e geográficas já não são tão significativas, quando as redes globais de intercâmbios conectam e desconectam indivíduos, grupos, regiões e até países sob os efeitos globalizantes provenientes da pós-modernidade e/ou modernidade tardia (HALL, 2001), ou alta modernidade (GIDDENS, 2002b), que parece ter sido intensificadacom a presença das redes mundiais de computadores, que aproximam os indivíduos e possibilitam o surgimento de novas formas de relações sociais. Neste artigo, vamos abordar a revolução da tecnologia de informação e como outros conseqüências, a formação de comunidades virtuais como uma estratégia do indivíduo inserido numa sociedade emrede de se fazer reconhecer por meio de uma ou várias identidades. Sendo o modo de atribuição dessas novas identidades, baseado numa escolha pessoal, eletiva, a principal diferença do modelo tradicional de atribuição de características identitárias, como o caso das identidades culturais, resultado de um processo de imposição.

2. A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Diferentemente de qualquer outrarevolução, a transformação que estamos vivendo na revolução atual refere-se às tecnologias da informação, processamento e comunicação. O que caracteriza a atual revolução tecnológica não é a centralidade de conhecimentos e informação, mas a aplicação desses conhecimentos e dessa informação para geração de conhecimentos e de dispositivos e de processamento/comunicação da informação, em um ciclo de...
tracking img