Significado das palavras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 50 (12306 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE METROPOLITANA DE MANAUS
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CHRISTOPH FELIPE SILVA DE SOUSA
DANIELE FERNANDES MACHADO

SIGNIFICADOS DE PALAVRAS

MANAUS
2008

FACULDADE METROPOLITANA DE MANAUS
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CHRISTOPH FELIPE SILVA DE SOUSA
DANIELE FERNADES MACHADO

Trabalho solicitado pela Prof.: wanilce Pimentel para obtenção denota do 1º Bimestre do 2º Período de administração.

MANAUS
2008

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO______________________________04
2. DESENVOLVIMENTO________________________05 A 30
3. CONCLUSÃO_______________________________31
4. REFERENCIAS_____________________________32

INTRODUÇÃO
Este trabalho tem como objetivo fazer com que se tenha um bom entendimento das palavras na disciplina defilosofia e de grande importância para o acadêmico.

Desenvolvimento
Analogia
Fazer uma analogia é estabelecer uma relação de semelhança entre coisas distintas. Por exemplo, quando se diz que tal como qualquer artefacto também a natureza mostra sinais de um criador, estamos a estabelecer uma analogia entre a natureza e os artefactos.

Angústia

Chamamos de angústia a sensaçãopsicológica, caracterizada por "abafamento", insegurança, falta de humor, ressentimento, dor e ferida na alma. Na moderna psiquiatria é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos.

A angústia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento,uma ocasião, circunstância), também pode-se chegar a angústia através de lembranças traumaticas que dilaceraram oufragmentaram o ego. Angústia quando a integridade psíquica está ameaçada, também costuma-se haver angústia em estados paranóicos onde a percepção é redobrada e em casos de ansiedade persecutória. A angústia exerce função crucial na simbolização de perigos reais (situação, circunstância) e imaginários (consequencias temidas).
"Jean-Paul Sartre, filósofo francês contemporâneo, defendeu que aangústia surge no exato momento em que o homem percebe a sua condenação irrevogável à liberdade, isto é, o homem está condenado a ser livre, posto que sempre haverá uma opção de escolha: mesmo diante de A, posso optar por escolher não-A. Ao perceber tal condenação, ele se sente angustiado em saber que é senhor de seu destino. Também Sigmund Freud, Pai da Psicanálise, realizou estudos sobre oproblema da angústia. Ele afirmou que vivemos um profundo mal-estar provocado pelo avanço do capitalismo. Contudo, a sua colaboração mais profunda para essa nossa temática pode ser percebida na sua análise do nosso aparelho psíquico: vivemos um conflito interno entre três instâncias psíquicas fundamentais ao equilíbrio do ser: nossas vontades (id) vivem em constante atrito com nosso instinto repressor(superego). Podemos tudo aquilo que queremos? Infelizmente não. O balanço entre as vontades e as repressões tem que ser buscado pelo ego, a nossa consciência. É o ego que analisa a possibilidade real de por em prática uma ação desejada pelo nosso id. Não obstante, controla o excessivo rigor imposto pelo superego. A esse conflito entre o id e o superego, Freud denominou angústia."
"Pessoasque apresentam o quadro de angústia sem acompanhamento profissional, desenvolvem outros distúrbios emocionais, tais como cansaço físico-mental, abaixamento da auto-estima e comportamentos desadequados".
Causalidade
Na filosofia causalidade é conceituada como o conjunto de todas as relações de causa e efeito.
Seguem alguns exemplos do conceito:
Se uma bola está parada no chãoe alguém lhe dá um chute, ela é atirada ao longe. Então dizemos que a causa do seu movimento foi a força muscular aplicada à bola através do chute.
Se uma maçã cai da árvore, dizemos que a causa de sua queda foi a força de atração da Terra (gravidade), que se exerce sobre todos os corpos.
Se apertarmos o gatilho de um revólver carregado, o projétil é expulso pelo cano, com...
tracking img