Senso comum

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2611 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Unidade I

Ciências Socias

Senso comum x ciência
Senso comum: é o conhecimento do
homem comum, não especialista. É um
conhecimento avulso, superficial.
Ciência: conhecimento crítico,
sistemático, racional. Utiliza métodos
adequados de análise e formula teorias.
Busca um conhecimento exato sobre a
realidade.

Universidade
Associação de alunos e docentes que
buscam o avançoatravés do estudo.
Centro do saber, instituição preocupada
com a qualificação do ensino, rigor da
aprendizagem e o progresso da ciência.
Portanto, nosso compromisso é com
pensamento científico.

Por que estudar Ciências Sociais?
As Ciências Sociais desempenham papel
central para a compreensão das forças
sociais que vêm transformando nossas
vidas.
É um conhecimento capaz de conduzir ohomem comum a compreender os nexos
que formam a realidade.

Definição e Pressupostos da
Sociologia
Conhecimento científico sobre a realidade
social que visa estabelecer teorias e
confrontá-las com a realidade.
Pressuposto básico: a sociedade possui
uma lógica passível de ser apreendida. A
sociedade, ao contrário da natureza, é
obra dos próprios indivíduos.

Objeto de estudo: asociedade
capitalista
E o que é o capitalismo? É um sistema
econômico voltado para a produção e para a
troca, para a expansão comercial, para a
circulação crescente de mercadorias e para
o consumo de bens materiais.
O lucro se torna a finalidade principal de
qualquer atividade econômica.

Introdução ao pensamento científico
sobre o social
Renascimento: Movimento filosófico e
artístico queconduziu à ruptura com o
mundo medieval, com características
agrária e teocrática, e formação do
mundo moderno, urbano, burguês e
comercial
comercial.
Contexto histórico: Século XVI, momento
de desenvolvimento do comércio e da
navegação, do contato com outros povos.
Formação de uma nova classe social:
burguesia comercial
burguesia comercial.

Um nova mentalidade
Formação de umamentalidade laica, na
medida em que o homem vai se
desligando dos dogmas religiosos.
O conhecimento deixa de ser revelado
como resultado de uma atitude de
contemplação e fé e volta-se a reflexão
baseada na razão.
O homem passa a se sentir livre para
pensar e criticar a realidade e se concebe
como agente dos acontecimentos.

Ilustração: séc. XVIII
Movimento filosófico que propunha umaatitude curiosa e livre; convicção na razão
como fonte de conhecimento;
Valorização da pesquisa científica e
disseminação de atitudes de
planejamento.
Busca da novas formas de organização
social que garantiam a realização do
homem na comunidade e o exercício da
liberdade.
O poder é visto como construção lógica e
jurídica, independente de quem ocupa, de
forma temporária erepresentativa.

O Estado Nacional
Surge o conceito de Estado Nacional – um
território soberano onde imperava uma
política que privilegiava o
desenvolvimento econômico e as
necessidades do mercado.
A nação deveria se orientar por uma
política que favorecesse a prosperidade e
a acumulação de riqueza e que tivesse o
indivíduo agente.
Propunha uma nova forma de governo
pautada na legitimidadepopular.
Defesa da igualdade jurídica, da
democracia e da liberdade de
manifestação política.

Principais representantes da
Ilustração
Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)
Afirmava que a vida social deveria se
basear no interesse comum e no
consentimento unânime dos homens em
renunciar às suas vontades particulares
em favor da coletividade
em favor da coletividade.
John Locke (1632-1704)Defesa do
sistema constitucional, da liberdade
individual e respeito à propriedade.
Adam Smith (1732-1790) revela a
importância do trabalho na formação das
riquezas. A economia deveria ser regida
por leis naturais da oferta e da procura (a
livre concorrência).

Transformações sociais do
séc. XVIII – Revolução Francesa
Revolução popular que põem fim a
monarquia absolutista na França....
tracking img