Sapiens demens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (622 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
 “Sapiens-demens” A era do cérebro começa com o homem de Neanderthal, já sapiens, a novidade que o sapiens traz ao mundo consite naquilo que até agora se considerava como epifenomenal, ou queimbecilmente se saudava como sinal de espiritualidade: a sepultura e a pintura.
• Os túmulos mais antigos que conhecemos são neanderthaleses. Eles indicam-nos uma coisa muito diferente de um simplesenterramento para proteger os vivos da decomposição (para isso, o cadáver poderia ter sido abandonado a alguma distância, ou lançado à água). O morto está numa posição fetal (o que sugere uma crença no seurenascimento).
• A morte não só é reconhecida como facto, como a reconhecem os animais (que, além disso, já são capazes de «fazer de mortos» para enganar o inimigo),
• Para mais, a morte já éprovavelmente concebida, não certamente como uma lei da natureza, mas como uma imposição quase inevitável que pesa sobre todos os vivos.
• A ligação de uma consciência de transformações, de uma consciênciade imposições, de uma consciência do tempo, indicam no sapiens a emergência de um grau mais complexo e de uma qualidade nova do conhecimento consciente.
• Portanto, tudo nos indica que a consciênciada morte que emerge no sapiens é constituída pela interação de uma consciência objetiva que reconhece a mortalidade e de uma consciência subjetiva que afirma, se não imortalidade, pelo menos umatransmortalidade.
• tudo se passa como se o homem fosse um simulador sincero em relação a si próprio, um histérico segundo a antiga definição clínica, transformando em sintomas objetivos aquilo queprovém da sua perturbação subjetiva.
• Portanto, com o sapiens nasce a dualidade do sujeito e do objeto, laço inquebrável, ruptura intransponível que, posteriormente, todas as religiões e filosofias vãoprocurar, de mil maneiras, transpor ou aprofundar. O homem já dissocia efetivamente o seu destino do destino natural, embora esteja legitimamente persuadido de que a sua sobrevivência obedece às leis...
tracking img