Samba para antropologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1223 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sambeiros e Sambista: quem vive no carnaval e quem vive para o carnaval.





[pic][pic][pic][pic]

















RESUMO





O trabalho tem por objetivo efetuar uma reflexão acerca do conceito que as pessoas tem sobre o grande evento que é o Carnaval. A metodologia deste partiu tanto de elementos teóricos, através de obras conhecidas, tal como “Carnavais,Malandros e Heróis” de Roberto da Matta, que nos ofereceu o entendimento desta cultura,entre outros autores e obras clássicas do tema em questão. A partir disso, foi efetuado um trabalho de campo, com diversos grupos sociais que nos fez entender, que o carnaval não dura apenas quatro dias do ano, e muitos fazem de sua vida e sua historia esta “festa”.1. Introdução





Considerada uma das festas mais festiva, animada, com suas fantasias, charme, beleza e desfiles apreciados em todo mundo, tornou-se uma das culturas da identidade brasileira.


A uma primeira vista, o carnaval é puro glamour, sempre com grandes inovações, danças diferenciadas, um espetáculocom muita alegria típica do nosso povo, mas por trás de tudo isso existe as verdadeiras pessoas merecedoras de aplausos.


Esses trabalhadores que fazem do Carnaval o seu ganho, que trabalham o ano todo para garantir que essa festa ocorra que não saberiam fazer mais nada e que não se veem em outro lugar, estes são a nossa fonte de pesquisa.


Tentaremos mostrar a paixão, os esforçosenvolvidos, e que o carnaval não é somente das escolas de sambas mostradas nos programas de televisão, o carnaval está nas ruas, em diversos lugares, e distinguir quem são os verdadeiros sambistas e foliões nesta historia.






































Desenvolvimento.


O que é o carnaval?


O Carnaval originou-se na Grécia ( vcs acham importante colocara origem do carnaval?)


Para muitas pessoas o carnaval é a grande disputa entre diversas escolas de samba, que em toda sua rivalidade, competem entre si em busca de um título que possa mostrar que sua escola foi a melhor.


A importância do titulo não é questionada, mas sim sua limitação em torno dos pensamentos da festa. Esta é celebrada em diversos estados e cidades, pois temos o axé daBahia, as marchinhas de ruas, festas militares entre outras que vão mais além do que podemos ver através da mídia.


Diante disso, seria o Carnaval apenas um feriado, um lugar onde as pessoas não se importam com sua cor, onde os papeis possam ser invertidos, os pobres viram duques, a nobreza se mistura ao povo e todos cantam feliz a alegria de estar participando de um mesmo projeto como iguaisou apenas uma forma de atrair os turistas?


Roberto da Matta, explica que o carnaval foi uma invenção desesperada do mundo, onde as pessoas podem ser quem quiseres, onde tudo está invertido, e através da dança podemos esquecer os problemas políticos e sociais:


"Penso que o carnaval é basicamente uma inversão do mundo. Uma catástrofe. Só que uma reviravolta positiva, esperada, planificadae, por tudo isso, vista como desejada e necessária em nosso mundo social. Nele, conforme sabemos, trocamos a noite pelo dia; ou, o que é ainda mais inverossímil: fazemos uma noite em pleno dia, substituindo os movimentos da rotina diária pela dança e pelas harmonias dos movimentos coletivos que desfilam num conjunto ritmado, como uma coletividade indestrutível e corporificada na música e nocanto."


Caio Mattos,um de nossos entrevistados, afirma:


“ O carnaval para a maioria das pessoas é uma possibilidade que as pessoas tem de fazer o que tem vontade, porque o “proibido” é aceitável, assim como homem se vestir de mulher em geral ainda causa uma grande frustração, no Carnaval é normal, é só uma “fantasia”.”


Seria este então o espírito do Carnaval? Um plano da sociedade para...
tracking img