Revoltas regenciais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1875 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Na História do Brasil, o Período Regencial  é aquele compreendido entre os anos de 1831 e 1840. Ele é iniciado com a abdicação de D. Pedro I em nome de seu filho que na época tinha apenas cinco anos e tem seu fim quando D.Pedro II assume o poder no “Golpe da Maioridade”.
O agravamento da situação econômica e o anseio das camadas popular e média, por uma maior participaçãopolítica, vão gerar revoltas em vários pontos do país, sempre esmagadas com rigor pelas forças governistas.
Única vez que a elite entrou no poder. O período Regencial foi um período de grande instabilidade política, e essas conflituosas. Havia um grupo político que defendia maior autonomia para as províncias e outro que defendia a centralização política.
Havia muitas razões para tantasrevoltas:
A crise socioeconômica
No campo econômico, as exportações brasileiras perdiam preço e mercado. O açúcar de cana sofria a concorrência internacional das Antilhas e dos Estados Unidos (açúcar de beterraba). O algodão, o fumo, o mate e o couro também enfrentavam a forte concorrência de outras áreas produtoras. O ouro era um minério quase esgotado. No campo social, o povo das cidades e do campolevava uma vida miserável. Os alimentos. Os alimentos eram caros. A riqueza e o poder estavam concentrados em mãos dos grandes fazendeiros e comerciantes.
O autoritarismo e a falta de autonomia
No campo político, havia grande oposição ao autoritarismo do governo central do império. As províncias queriam mais liberdade e autonomia. Queriam o direito de eleger seus próprios presidentes daprovíncia. Muitos políticos das províncias pregavam a separação do governo central.
Embora possuíssem diferenças importantes de contexto e até mesmo de reivindicações, as rebeliões em geral soavam como ameaças separatistas para o governo geral e por isso foram severamente combatidas.

BALAIADA

Contextualização: Rebelião popular ocorrida no Maranhão e em parte do Ceará e do Piauí durante a Regência,entre 1838 e 1841.
Causas: Nasce das lutas partidárias e da pobreza no interior da província maranhense. A rivalidade entre grupos da elite local resulta em uma revolta que exige a intervenção das autoridades imperiais.
Personagens: É chamada Balaiada porque um dos líderes, Manuel Francisco dos Anjos Ferreira, era apelidado de Balaio.
Objetivos: A partir de 1830, a província do Maranhão ésacudida pelas disputas entre o conservadorismo dos grandes proprietários de terra (cabanos), no governo, e os liberais (bem-te-vis), na oposição. Para reduzir o poder dos conservadores, os bem-te-vis lançam uma campanha contra o controle das eleições dos prefeitos por parte do Executivo provincial. A campanha acirra as disputas locais, envolvendo também as camadas populares.
Resultados: No início de1840 chega ao Maranhão o novo presidente e chefe militar da província, coronel Luís Alves de Lima e Silva (futuro Duque de Caxias), nomeado pela Regência para conter o movimento. Ele reorganiza as tropas oficiais em três colunas volantes e passa a combater os insurgentes, forçando-os a abandonar as áreas conquistadas. Depois de algumas batalhas – em uma das quais morre o líder Balaio –, as tropasretomam Caxias. Começa a caça aos rebeldes, com grande baixa entre eles. Em maio de 1840, em um confronto nas matas de Curimatá, a coluna de Raimundo Gomes perde 500 homens. Meses depois, dom Pedro II oferece anistia aos revoltosos, em comemoração a sua maioridade antecipada, condicionada à reescravização dos negros rebeldes. Mais de dois mil balaios se rendem. O conflito termina em janeiro de 1841,com a prisão de Gomes na Vila de Miritiba, divisa com o Piauí. O negro Cosme Bento também é preso e morre enforcado em setembro de 1842.

CABANAGEM

Contextualização: Entre 1832 e 1839, na província do Pará.
Causas: As lutas pela independência na província tiveram um caráter popular, além da libertação. No Pará existiam tradições de autonomia datadas dos tempos coloniais, quando por força...
tracking img