Fichamento max weber

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1001 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CIS 217- Fundamentos das Ciências Sociais
Nome: Lucas Cupertino de Oliveira Alves S Matrícula: 74447.
Bibliografia: WEBER, M. “A ciência como vocação”. In: WEBER, M. Ciência e política, duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2008.

CIÊNCIA E POLÍTICA
Duas Vocações
No inicio do texto Max Weber faz uma comparação entre os cientistas dos Estados Unidos e Alemanha. Max Webertrata a ciência como vocação, assim os jovens estudantes que tem uma paixão a ciência, esses “cientistas” se dedicam integralmente para suas atividades. Os universitários na Alemanha que inicia sua carreia acadêmica como cientista, primeiramente, essa pessoa recebe uma habilitação, sem nenhuma renumeração do governo. Todo o universitário que inicia a carreira científica passa por esse sistema antesque recebam a cátedra de ensino de pesquisa. Esse sistema utilizado na Alemanha é reservado especialmente para as pessoas mais ricas, por ser um trabalho não renumerado. Certamente os jovens cientistas sem condições financeiras, dificilmente terá sucesso na sua carreira universitária. Nos Estados Unidos, o individuo inicia-se sua carreira distinta á da Alemanha, os universitários inicia suacarreira com a função de assistente, e exerce atividade renumerada, com um pagamento fixo. Na Alemanha os professores tem sua carga horária reduzida, nos EUA, os assistentes trabalham com uma carga horária sobrecarregada, nos Estados Unidos talvez o motivo para qual eles tenham uma carga horária sobrecarregada seja por eles exercerem atividades com renumeração fixa.
“A universidade alemã seamericaniza, sob importantes aspectos. Estou convencido de que essa evolução chegará mesmo a atingir as disciplinas em que o trabalhador é proprietário pessoal de seus meios de trabalho (essencialmente, de sua biblioteca). Não se podem negar as incontestáveis vantagens técnicas dessa evolução, que se manifestam em quaisquer empresas que tenham, ao mesmo tempo, características burocráticas e capitalistas”(pág. 20). Há uma grande diferença entre a empresa universitária capitalista, que são aqueles professores que exerce seu trabalho com carga horária maiores, e os professores titulares, que ganham muito e com carga horária reduzida.
“Sem essa embriaguez singular, de que zombam todos os que se mantem afastados da ciência, sem essa paixão, sem essa certeza de que “milhares de anos se escoaram antes devocê ter acesso á vida e milhares se escoarão em silêncio” se você não for capaz de formular aquela conjetura; sem isso, você não possuíra jamais a vocação de cientista e melhor será que se dedique a outra atividade. Com efeito, para o homem, enquanto homem, nada tem valor a menos que ele possa fazê-lo com paixão” (pág. 25). Para Max Weber á vocação está ligada a paixão, quando a pessoa tem um dompara exercer algo, assim, ela pode fazê-la com paixão, por fazer aquilo que gosta que se sinta bem. Entretanto, por mais que a paixão seja verdadeira, a pessoa pode não conseguir sua meta, por a paixão ser um fator decisivo. “Mas o trabalho e a paixão fazem com que surja a intuição, especialmente quando ambos atuam ao mesmo tempo. A intuição não se manifesta quando queremos, mas quando ela o quer”(pág. 26).
“O progresso cientifico é um fragmento [...], do processo de intelectualização a que estamos submetidos desde milênios e relativamente a qual algumas pessoas adotam, em nossos dias, posição estranhamente negativa. Aquele, dentre nós, que entra num trem não noção alguma do mecanismo que permite o veículo pôr-se em marcha- exceto se for um físico de profissão. Aliás, não temosnecessidade de conhecer aquele mecanismo.”(pág. 30). Como não temos conhecimentos para entender e explicar esse mecanismo, então pode recorrer à imaginação, que assim podemos chegar a uma conclusão, que é a essência da intelectualização.
O espírito Helênico denomina o grande instrumento do trabalho cientifico. “Tornou-se o meio seguro de contratar a experiência, sem o qual a ciência empírica moderna...
tracking img