Resumo informativo exemplo

SELKIRK, Elisabeth. The Syllabe. In: HULST, Harry; SMITH, VanDer. The structure of phonological representations. Foris: Dordrecht, 1982.

Fundamentada nos preceitos da fonologia métrica econsiderando o inglês como língua-base, Selkirk (1982) desenvolveu um trabalho destinado a destacar a importância da sílaba nos estudos linguísticos, assim como o seu papel essencial para a teoria fonológica.Em The Syllable (1982), a autora aponta três argumentos que afirmam a relevância do estudo silábico: a questão de a sílaba ser unidade fundamental na descrição das restrições fonotáticas das línguas,o fato de o elemento silábico ser indispensável à caracterização adequada de uma larga gama de processos fonológicos e, por último, a essencialidade da sílaba para a compreensão de fenômenossuprassegmentais, como acento e tom (SELKIRK, 1982, p. 328). A autora, então, propõe uma representação na qual a sílaba configura-se como uma estrutura interna de constituintes, organizados hierarquicamente.Nas palavras da pesquisadora: “A noção de sílaba que surgirá desta análise do inglês é, portanto, a de uma unidade hierárquica, uma árvore estruturada internamente de forma semelhante a uma árvore querepresenta a estrutura sintática (tradução nossa)” (SELKIRK, 1982, p. 328)1. Na proposta apresentada, a sílaba é composta por elementos denominados constituintes silábicos, a saber: ataque e rima,núcleo e coda, sendo o núcleo o constituinte principal. Primeiramente, a sílaba divide-se em ataque e rima, e a rima, por sua vez, divide-se em núcleo e coda. A representação silábica de ramificaçãobinária, proposta por Selkirk (1982), encontra-se expressa a seguir.

1

The notion of the syllable that will emerge from this examination of English is therefore one of a hierarchical unit; aninternally structured tree quite analogous to a tree representing syntactic structure (SELKIRK, 1982, p. 328).

Figura 5 – Representação da sílaba proposta por Selkirk (1982, p. 331)

Selkirk (1982),...
tracking img