Resumo do livro 1 do contrato social e biografia de adam smith e sua teoria sobre liberalismo economico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1061 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Livro I
Capítulo 1 – Objeto deste primeiro livro
fornece uma introdução sobre a relação entre o direito de vida ou morte e a escravidão. Rousseau indaga porque um homem nascido livre se torna um escravo.
Capítulo 2 – Das primeiras sociedades
o autor descreve a primeira ordem social. A família, que não dura muito, pois é perdida quando os filhos obtêm suas independências.
O autor cita umjurista holandês,este jurista, Grotius, diz que o poder é um direito. E outro apresentado por Rousseau, Fílon, diz que os senhores são divinos e os súditos são animais.Nesta sociedade familiar o que prevalece antes da razão é a intuição do "bom selvagem".
Capitulo 3 – Do direito do mais forte
Rousseau comenta sobre o poder do mais forte. Na maioria das vezes o mais forte nem sempre tem força obastante para segurar esse poder. Rousseau descreve então as falhas e os buracos desse modo de pensamento. O mais comum é que o senhor tenha o direito de governar e os súditos tenham o dever inquestionável de obedecer. Mas que direito é esse que depende da força? A partir do momento em que se cessa a força, a obediência também acaba. Conclui-se que “a força não faz o direito e que só se é obrigado aobedecer aos poderes legítimos”
Capítulo 4 – Da escravidão
o assunto tratado é a escravidão. Se a força de um homem sobre outro não é legítima, sobra somente o poder legítimo. A escravidão seria legítima, pois o escravo não queria se torna escravo. Se uma pessoa pode se tornar escravo por vontade própria, porque populações não o podem também? Porque uma pessoa se torna escrava em troca desubsistência. Já uma população, quando se torna escrava, perdendo sua liberdade, também perde seus bens que passas para o imperador. Nenhuma população aceitaria isso o que torna a escravidão de uma população ilegítima.
Mas Rousseau afirma que a escravidão se baseia no direito de vida ou morte e este direito de vida ou morte se baseia na escravidão, criando um círculo vicioso.
Capítulo 5 – De como sempreé preciso remontar a uma primeira convenção
o autor separa uma agregação de um senhor e seus escravos e uma população e seu imperador. Aqui ele remete à lei do mais forte. Para um povo se entregar a um rei, é necessário que ele seja aprovado. No caso de não unanimidade, como seria definida a votação? Poderia ser maioria de votos? Ou número de votos, sendo que alguns votos contam mais que outros.Para essas escolhas é necessária uma convenção anterior, que é a base deste capítulo.
Capítulo 6 – Do pacto social
o autor mostra como se formou um primeiro pacto social. Quando os homens não tinham mais a capacidade de subsistência individual, precisaram se unir e agregar-se. Formou-se assim o primeiro pacto social. o homem passou do estado natural para o estado civil. O contrato social deveprocurar uma agregação que proteja os bens, direitos e interesses de todos os indivíduos na agregação. Rousseau resume o pacto social a: Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a suprema direção da vontade geral; e recebemos, coletivamente, cada membro como parte indivisível do todo.
Capítulo 7 – Do soberano
Quando se elege um soberano, que pode ser um indivíduo como umcorpo político, estabelece-se uma relação entre os povos e o soberano. Cada um deve ajudar ao outro.
o corpo político não é separado dos membros. Não é possível ofender um membro sem ofender o corpo. Nesse contrato o soberano é sempre o que deve ter interesses contrários à população, pois estes fazem parte do corpo e não se pode ter um interesse contrário ao seu mesmo.
Já a população pode terconflitos. Cada indivíduo pode ter seu próprio interesse, pois o soberano não pode apagar o interesse do indivíduo.
Capítulo 8 – Do estado civil
Quando o homem passa do estado natural para o civil, Ele substitui o instinto pela justiça e adiciona moral à sua conduta. O homem perde sua liberdade natural e o direito a tudo que puder alcançar. E ganha a liberdade civil, que é limitada pela vontade...
tracking img