Resenha - o problema do conhecimento e a criatividade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2010 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Instituto de Ciências Humanas e Sociais
Departamento de Comunicação Social
Disciplina: Comunicação e Linguagem Científica
Docente: Alessandra Carvalho
Aluno: Rener Henrique Pinheiro

O problema do conhecimento e a criatividade
In: MAGALHÃES, G. Introdução à metodologia dapesquisa. Caminhos da Ciência e Tecnologia. São Paulo: Ática, 2005.

1.1 Conhecer é um processo

* “A palavra ‘conhecimento’, em nossa língua, deriva do latim cognoscere, cuja etimologia significa “conhecer junto” ou “procurar saber” e que, por sua vez, se relaciona com o grego gnosis, habitualmente traduzido com o próprio sentido de ‘conhecimento’” (p. 13).
* “Para conhecer algoé necessário penetrar no íntimo desse algo, o que se dá justamente por meio do processo mental que chamamos de ‘racionalização’” (p. 14).
* “Usaremos neste texto a palavra ‘conhecimento’ com o seguinte sentido: processo de compreender para adquirir domínio sobre alguma parcela do universo, entendido materialmente ou não, isto é, podendo abranger um objeto mental” (p.14).
* “Há uma relaçãoentre o sujeito que deseja conhecer e aquilo que se busca conhece, que é o assunto da teoria do conhecimento, ou epistemologia, palavra que deriva daquelas que já apresentamos, episteme (...) e logos (...), sendo epistemologia, portanto, o estudo de como se dá o conhecimento” (p. 15).
* “O conhecimento é diferente da filosofia? Alguns vêem diferença entre o conhecimento da episteme (...) e oda sofia, mas a nosso ver todo conhecimento tem as mesmas bases e procedimentos gerais, estando sujeito às mesmas limitações, pois, assim como não há uma ciência definitiva, tampouco há um sistema filosófico definitivo. Em ambos os campos buscam-se caminhos para compreender o mundo” (p.15)

1.2 Para que serve o conhecimento?

* “Admitimos que conhecer tem um valor para os homens. Háalguns sistemas filosóficos que negam isso quando, por exemplo, contrapõem o conhecimento à felicidade, dizendo que uma pessoa que parcos conhecimentos talvez possa ser mais feliz nesse estado do que quando passa a conhecer mais.” (p. 16).
* “De fato, a história mostra que não existe um conhecimento por si mesmo, por puro deleite ou diletantismo, que não tenha um vínculo aparente ou oculto coma realidade humana” (p. 17).
* “No fim das contas, o conhecimento serve e só adquire sentido para a humanidade à medida que contribui para melhorar sua capacidade de fruir a vida e diminuir o sofrimento humano, fugindo das necessidades desagradáveis a que o mundo obriga” (p.17).
* “Podemos, então, ver o conhecimento como fator de liberdade, como elemento para a felicidade” (p. 17).

1.3Conhecimento humano e social

* “A complexa razão humana criou o que se chama de cultura, habilitando-o a refletir sobre o universo e o que constitui, interpretar a realidade e pensar a sucessão temporal e espacial em que se dá sua história” (p. 17).
* “Se o conhecimento é uma parte do ser, sempre seremos mais do que conhecemos, mas não nos iludamos: nosso conhecimento é que nos fazhumanos” (p.18).
* “Componentes sociais do conhecimento tais como a ciência, a técnica ou o sistema produtivo são elementos da cultura humana e não, como se tornou lugar-comum assumir, adversário do homem. Em qualquer dessas esferas de atuação é possível e desejável desenvolver uma posição crítica” (p. 19).

1.4 O processo do conhecimento

* “O que se designa por termos como‘criatividade’ e ‘inventividade’ são maneiras práticas de exercer esse salto do conhecimento” (p. 19).
* “Julgamos importante ressaltar que mesmo um conhecimento já existente no acervo da humanidade, ao ser refeito por uma pessoa que o desconhecia, parece novo, de forma que podemos admitir que isso também faz parte da criação. Na verdade, o conhecimento como processo é o que se desejaria que fosse...
tracking img