Resenha max weber

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1568 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE BALSAS – UNIBALSAS
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO – 1º PERÍODO
Resenha Critica: Visão Crítica Da Abordagem Mecânica
Professora: Vanice Gomes
Aluno: Marcílio Santos
Balsas - MA, Março 2012

Biografia Max Weber
Maximillion Weber, economista, sociólogo e filósofo alemão, nasceu em 1864 em Erfurt, Turíngia, e morreu em 1920 em Munique. Filho de um grande industrial textil na AlemanhaOcidental. Foi um dos principais nomes da sociologia moderna. Realizou extensos estudos sobre história comparativa e foi um dos autores mais influentes no estudo do surgimento do capitalismo e da burocracia, bem como da sociologia da religião. Um dos seus objetivos principais foi refutar a tese de Karl Marx, segundo a qual o capitalismo nascera somente da exploração do homem pelo homem.
Para Weber,o capitalismo teria sido impulsionado por uma mudança comportamental provocada pela Reforma Luterana do século 16. Ocasião quando dela emergiu a seita dos calvinistas com seu forte senso de predestinação e vocação para o trabalho.
Entre suas obras principais estão a ética protestante e o espírito do capitalismo, Economia e sociedade e A metodologia das ciências sociais.

Weber em suas obrasinvestiga valores sociais, mas não estabelece normas e ideais. Aborda o conceito de burocracia como um modo de manter a uniformidade das operações... Mas sabemos que ela é um entrave a solução em tempo hábil para diversos problemas, principalmente os de natureza jurídica.  Ele também aborda a estratificação social de três formas bem distintas como prestígio social por habilidade trabalhista, status epoder... Então o grau de prestígio pode estar ou não ligado à classe. Por exemplo, um rico pode ter acesso à propriedade, mas não ter acesso ao poder, enquanto que um pobre pode não ter acesso à propriedade, mas tem poder pelas leis sobre o rico.
O principal objetivo de Weber é compreender o sentido que cada pessoa dá a sua conduta e perceber assim a sua estrutura inteligível e não a análisedas instituições sociais como dizia Durkheim. Aquele propõe que se deve compreender interpretar e explicar respectivamente, o significado, a organização e o sentido e evidenciar irregularidade das condutas. Com este pensamento, não possuía a idéia de negar a existência ou a importância dos fenômenos sociais, dando importância à necessidade de entender as intenções e motivações dos indivíduos quevivenciam essas situações sociais. Ou seja, a sua idéia é que no domínio dos fenômenos naturais só se podem aprender as regularidades observadas por meio de proposições de forma e natureza matemática. É preciso explicar os fenômenos por meio de proposições confirmadas pela experiência, para poder ter o sentimento e compreendê-las.
Weber também se preocupou muito com a criação de certos instrumentosmetodológicos que possibilitassem ao cientista uma investigação dos fenômenos particulares sem que ele se perca na infinidade disforme dos seus aspectos concretos, sendo que o principal instrumento é o tipo ideal, o qual cumpriria duas funções principais: primeiro a de selecionar explicitamente a dimensão do objeto que virá a ser analisado e, posteriormente, apresentar essa dimensão de uma maneirapura, sem suas sutilezas concretas. Para Weber, a ciência positiva e racional pertence ao processo histórico de racionalização, sendo composta por duas características que comandam o significado e a veracidade científica. Em que estas duas características são o não-acabamento essencial e a objetividade, em que esta, é definida pela validade da ciência para os que procuram este tipo de verdade, epela não aceitação dos juízos de valor. Segundo ele o não-acabamento é fundamental, diferentemente de Durkheim que acredita que a Sociologia é edificada em um sistema completo de leis sociais. Weber por sua vez defendia que para todas as disciplinas, tanto as ciências naturais como as ciências da cultura, o conhecimento é uma conquista que nunca chega ao fim. A ciência é o devir da ciência....
tracking img