Resenha: livro o seringal e o seringueiro de cezar arthur reis

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1630 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal do Acre
Centro de Filosofia e Ciências Humanas
História em Licenciatura 8º Período matutino
Historiografia Amazônica.

Resenha: Livro O Seringal e o Seringueiro de Cezar Arthur Reis
Adriana Silva
Ednalva Santos
Flaviana Coimbra
Stefani Caruta
Ronaldo

Rio Branco Acre 11/10/11

Adriana Silva
EdnalvaSantos
Flaviana Coimbra
Stefani Caruta
Ronaldo

Resenha: Livro O Seringal e o Seringueiro de Cezar Arthur Reis

Resenha apresentada ao professor Dr. Carlos Alberto de Souza ,da disciplina de Historiografia Amazônica como requisito de avaliação.

Rio Branco Acre 11/10/11
INTRODUÇÃO
O livro “O Seringal e o Seringueiro”, de Arthur Cezar Reis é uma etnografia sobre a Amazônia fruto deum projeto de Documentação da Vida Rural, do Serviço de Informação Agrícola, do Ministério da Agricultura, de 1953.
O presente trabalho objetiva apresentar uma sucinta exposição compreensiva sobre tal obra e ainda mostrar em alguns tópicos resumidamente a vida e obra do autor, seu referencial usado para elaboração do texto estudado.

O Seringal e o Seringueiro, de Arthur Reis
1 - Compreensãogeral da obra
Arthur Cezar Reis em o “seringal e o seringueiro” faz uma etnografia Amazônica delineando aspectos geográficos, sociais, históricos, econômicos, físicos, técnicos, psicológicos da região e de seus atores, a configuração social, o perfil dos indivíduos envolvidos, a situação física e social do lugar. Todos esses aspectos articulados formando o cenário no século XIX da região emquestão.
Reis na primeira parte do livro faz uma apresentação extremamente descritiva da geografia física da Amazônia, apresentando sua fauna e flora e clima introduzindo o leitor no espaço que posteriormente dividirá em dois períodos: o da colonização realizada pelos portugueses e depois a exploração da borracha, ou da “héveas”, como coloca o próprio autor, a partir do século XIX, onde a história econfiguração social da história amazônica, e acreana - realidade próxima - por consequência, estará pautada.
O autor elenca os fatores que levaram a constituição da população amazônica; durante o processo de colonização fizeram parte: os africanos, portugueses e indígenas, que é apontado como gentio o que denota um provável sentido etnocêntrico no uso do termo. É feita uma pequena digressãoapontando o papel de cada um desses constituintes.
Já com a borracha toda a história ganha um novo ar, como diz REIS (p. 46):

Com a extração da borracha, tudo, porém se alterou, alterou para a estabilidade, para a constância, conquanto o movimento se tenha operado com certa violência que destruiu os padrões anteriores. Abandonou-se o sítio, “cacaoal”, o “cafezal”, o “engenho”. Estabeleceu-se o“seringal”, de história dramática, mas que trouxe para a região do país uma nova fronteira política, no episódio do Acre, uma nova fronteira econômica, por fim, a personalidade que lhe estava faltando. Porque a Amazônia deixou de ser, daí por diante, a região das lavouras e do pastoreio de tipo nordestino, para ser a região dos gomais, das héveas, o mundo do ouro negro, dos pioneiros, dos seringueiros,dos patrões, dos aviados, de um mecanismo novo na conjuntura nacional, distinto, portanto, na paisagem cultural brasileira.

A partir daí, Reis descreve o processo de descoberta da borracha, as técnicas para lidar com ela, sua expansão e importância na economia até seu declínio e decadência no seringal devido à biopirataria praticada, quando sementes da hevea foram levadas para Malásia, quandosua produção superou a brasileira, levando a decadência os seringais.
Arthur fala da disposição espacial do seringal e extrai daí pressupostos da configuração social.
Por fim, o autor fala de traços mais subjetivos dos atores da história em questão, estabelece tipos sociais quando fala do “patrão”, “do gerente”, “o guarda livros”, “o caixeiro”, “o comboieiro”, “o mateiro”, “o toqueiro”, “o...
tracking img