Resenha do livro preconceito linguistico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (817 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: O que é, como se faz. 5° Edição, São Paulo: Editora Loyola, 2000

É um livro de caráter critico e científico publicado pela Editora Loyola. O livro édividido em três partes: A mitologia do preconceito linguístico - Mitos número 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8; O círculo vicioso do preconceito linguístico (Os três elementos que são quatro, Sob o império deNapoleão, Um festival de asneiras, Beethoven não é dançado!); A desconstrução do preconceito linguístico - Reconhecimento da crise, Mudança de atitude, O que é ensinar português?, O que é erro?, Entãovale tudo? A paranoia ortográfica, Subvertendo o preconceito linguístico.
O preconceito linguístico, o que é, como se faz. Livro de autoria de Marcos Bagno nos mostra o que é o preconceito linguísticoe como ele é aplicado e analisado dentro da sociedade brasileira. O livro é subdividido em três partes e posteriormente em subtítulos. Na primeira parte do livro Bagno quebra os paradigmas e ideias deque o português falado aqui nunca é/será tão certo como o de Portugal, de que a língua portuguesa é muito difícil, que as pessoas sem instrução falam tudo errado, no Maranhão é onde se fala oportuguês da melhor forma e que saber e dominar a norma culta da língua portuguesa seria um instrumento de ascensão social. Por exemplo, dizer que dominar o português é um instrumento de ascensão é a mesmacoisa que dizer que os professores de gramática estariam no “topo da pirâmide social nacional”, fato que todos sabem muito bem ser errôneo de ser dito. Ou dizer que o português de Portugal é melhor queo do Brasil, sendo que só na cidade de São Paulo existem mais falantes da língua que em Portugal, ou seja, vivemos em países diferentes, com variações diferentes.
Bagno ainda afirma na outra partedo livro, como esse preconceito é aplicado na sociedade e nos mostrar que o começo de tudo isso está na escola, que esse preconceito é essencialmente aplicado por pessoas que se dizem conhecedoras...
tracking img