Resenha critica do livro : before i fall

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 303 (75592 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Lauren Oliver – Before I Fall
Traduzido por Grupo Shadows Secrets 2




créditos

tradução e revisão

Grupo Shadows Secrets
Lauren Oliver – Before I Fall
Traduzido por Grupo Shadows Secrets 3

sinopse

E se você só tivesse um dia para viver? O que você faria? Quem você beijaria? E até
onde você iria para salvar sua própria vida?
Samantha Kingstontem tudo: o namorado mais apaixonante do mundo, três
melhores amigas maravilhosas, e a primeira escolha de tudo na Thomas Jefferson High—
da melhor mesa na lanchonete à melhor vaga no estacionamento. Sexta-feira, 12 de
fevereiro, deveria ser apenas mais um dia em sua vida encantada.
No entanto, transforma-se em seu último.
Então ela ganha uma segunda chance.Sete chances, na verdade. Revivendo seu
último dia durante uma semana milagrosa, ela irá desvendar o mistério acerca de sua
morte—e descobrir o verdadeiro valor de tudo que ela está à beira de perder. Lauren Oliver – Before I Fall
Traduzido por Grupo Shadows Secrets 4

prólogo

Dizem que logo antes de morrer, sua vida passa diante dos seus olhos, mas não foi assimque
aconteceu comigo.
Para ser honesta, eu sempre pensei que tudo isso de momento final, a visualização mental da
vida, soava bastante desagradável. É melhor que algumas coisas sejam deixadas enterradas e
esquecidas, como minha mãe diria. Eu ficaria feliz em esquecer tudo da quinta série, por exemplo (a
fase dos óculos e aparelho rosa), e alguém quer reviver oprimeiro dia do ensino fundamental?
Adicione aí todas as entediantes férias familiares, aulas de álgebra sem sentido, cólicas menstruais, e
péssimos beijos que eu mal sobrevivi na primeira vez...
A verdade é que, porém, eu não teria me importado de reviver meus melhores momentos:
quando Rob Cokran e eu ficamos na pista de dança da festa de boas-vindas, para que todos vissem esoubessem que nós estávamos juntos; quando Lindsay, Elody, Ally e eu ficamos bêbadas e tentamos
fazer anjos de neve em maio, deixando marcas do tamanho de pessoas medianas no gramado de Ally;
minha festa de 16 anos, quando acendemos cem velas e dançamos na mesa no quintal; a vez que
Lindsay e eu fizemos uma brincadeira com Clara Seuse no Halloween, fomos perseguidas pelapolícia, e rimos tanto que quase vomitamos—as coisas que eu queria lembrar; as coisas pelas quais
eu queria ser lembrada.
Mas antes de morrer eu não pensei em Rob, ou nenhum outro garoto. Eu não pensei em
todas as coisas escandalosas que fiz com meus amigos. Eu nem mesmo pensei na minha família, ou
na maneira como a luz da manhã torna as paredes do meu quarto da cor decreme, ou o jeito que as
azaleias do lado de fora da minha janela cheiram em julho, uma mescla de mel e canela.
Em vez disso, eu pensei em Vicky Hallinan.
Especificamente, eu pensei no momento na quarta série em que Lindsay anunciou para todo
o ginásio que ela não queria Vicky no seu time de queimada. “Ela é gorda demais,” Lindsay deixou
escapar. “Você pode acertar ela de olhos fechados.” Eunão era amiga de Lindsay ainda, mas mesmo
então ela tinha esse jeito de falar coisas que as deixavam hilárias, e eu ri com todo mundo enquanto
o rosto de Vicky ficava tão roxo quanto uma nuvem de tempestade.
Foi isso que eu lembrei naquele momento antes da morte, quando eu deveria estar tendo
alguma grande revelação sobre meu passado: o cheiro de verniz e o chiar dos nossostênis no chão
polido; o aperto dos meus shorts de poliéster; a risada ecoando no grande espaço vazio como se
houvesse bem mais de vinte e cinco pessoas no ginásio.
E o rosto de Vicky.
A coisa estranha era que eu nunca tinha pensado nisso. Era uma daquelas lembranças que eu
nem sabia que lembrava, se você entende o que quero dizer. Não é como se Vicky fosse traumatizada...
tracking img