Resenha boaventura s. santos ensaio sobre as ciências

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2846 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha do artigo: SANTOS, Boaventura S. Um discurso sobre as ciências. 1985. Um guia de leitura com extratos do texto para facilitar a citação.

⇨ Motivado pela percepção de que [em 1985] em termos científicos:

o “(...)vivemos ainda no sec. XIX e que o século XX ainda não começou(...)”;

o “as possibilidades da tradução tecnológica dos conhecimentos acumuladosfazem-nos crer no limiar de uma sociedade da informação(...)”.

“É essa a ambiguidade e a complexidade da situação do tempo presente, um tempo de transição, síncrone com muita coisa que está além ou aquém dele, mas descompassado em relação a tudo o que o habita”. (p.6)

⇨ As perguntas de Rosseau

o ROSSEAU, Jean-Jacques. Discours sur les sciences e les arts. 1750o Resposta à questão proposta pela Academia de Dijon:

▪ “O progresso das ciências e das artes contribuirá para purificar ou para corromper os nossos costumes?”

o Perguntas formuladas a título de resposta:

▪ Há alguma relação entre a ciência e a virtude?

▪ Há alguma razão de peso para substituirmos o conhecimento vulgar que temosda natureza e da vida e que partilhamos com os homens e as mulheres da nossa sociedade pelo conhecimento científico produzido por poucos e inacessível à maioria?

▪ Contribuirá a ciência para diminuir o fosso crescente na nossa sociedade entre o que se é e o que se aparenta ser, o saber dizer e o saber fazer, entre teoria e prática?

o A resposta de Rosseau:▪ “(...)um redondo não.” -> Uma resposta coerente com o sec.XVIII, período de transição, de uma nova ordem científica emergente.




⇨ 1985: Perda da confiança epistemológica, novo período de transição.

o “(...)a perplexidade de não sabermos o que abundará em nós nessa abundância.” (p.8)

o “(...)urgência de dar respostas simples, elementares, inteligíveis.”o “(...)duzentos(...)anos depois, as nossas perguntas continuam a ser as de Rosseau.”

o “A nossa diferença existencial em relação a Rosseau é que, se as nossas perguntas são simples, as respostas sê-lo-ão muito menos.”

▪ “(...)Fim de um ciclo de hegemonia de uma certa ordem científica(...)”

▪ “são (...) diferentes e muito mais complexasas condições sociológicas e psicológicas do nosso perguntar.”

⇨ A proposta metodológica de B.S.S. para elaborar as perguntas e as respostas:

1) Caracterizar suscintamente a ordem científica hegemônica;

2) Analisar os sinais da crise dessa hegemonia:

a. Condições teóricas da crise;

b. Condições sociológicas da crise;

3) Especulação sobreo perfil de uma nova ordem científica emergente:

a. Condições teóricas de sua emergência;

b. Condições sociológicas de sua emergência.

⇨ Hipóteses de Trabalho:

o Começa a deixar de fazer sentido a distinção entre ciências naturais e ciências sociais;

o A síntese que há que operar entre elas tem como polo catalizador as ciências sociais;o As ciências sociais terão de recusar todas as formas de positivismo lógico ou empírico ou de mecanicismo materialista ou idealista com a consequente revalorização do que se convencionou chamar humanidades ou estudos humanísticos;

o Esta síntese não visa uma ciência unificada nem sequer uma teoria geral, mas tão só um conjunto de galáxias temáticas onde convergem linhas deágua que até agora concebemos como objetos teóricos estanques;

o A medida que se der essa síntese, a distinção hierárquica entre conhecimento científico e conhecimento vulgar tenderá a desaparecer e a prática será o fazer e o dizer da filosofia prática.

O PARADIGMA DOMINANTE:

⇨ Modelo de racionalidade:

o Origem: revolução científica do sec.XVI

o...
tracking img