Relatorio de teor de umidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1474 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA.
CAMPUS CANOINHAS.

PATRÍCIA LUCACHINSKI

RELATÓRIO DE ENSAIOS DE SOLOS E TEOR DE UMIDADE






CANOINHAS
2012
PATRÍCIA LUCACHINSKI.

RELATÓRIO DE ENSAIOS DE SOLOS E TEOR DE UMIDADE

Relatório apresentado para a disciplina de Geotecnia II, do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus Canoinhas,como requisito parcial de nota para o curso Técnico de Edificações.
Relatório apresentado para a disciplina de Geotecnia II, do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus Canoinhas, como requisito parcial de nota para o curso Técnico de Edificações.

Professor orientador: Orlando Rogério Companini

CANOINHAS
2012
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO. 2
1 PROCEDIMENTO. 2
2 MÉTODOS UTILIZADOS. 22.1 Método da estufa. 2
2.2 Método de Speedy. 2
3 OUTROS MÉTODOS. 2
3.1 Método frigideira ou banho de areia. 2
3.2 Método álcool etílico. 2
4 MATERIAIS UTILIZADOS. 2
5 RESULTADO. 2
5.1 Método Estufa. 2
5.2 Método Speedy. 2
6 CONCLUSÃO. 2
7 BIBLIOGRAFIA. 2

INTRODUÇÃO.

O presente trabalho tem por objetivo demonstrar os conhecimentos adquiridosatravés das aulas em laboratório, exibindo os métodos utilizados e a ordem dos serviços, para uma perfeita execução da atividade.
O conhecimento da umidade do solo é de fundamental importância, pois indica em que condições hídricas o mesmo se encontra, com a classificação do solo definida é determinado o tipo de fundação que poderá ser aplicado ao local, pois é essa estrutura que terá contatoconstante com o solo, portanto deve estar apropriado à ele.

1 PROCEDIMENTO.

Foi feito a coleta do material (solo), levado para o laboratório para fazer a identificação do material através de etiquetas. A amostra coletada para o ensaio foi de aproximadamente 5kg, a qual ficou em um saco logo após a coleta. Em laboratório foi pego parte dessa amostra e deixada armazenada em uma forma de metal paraque ela atingisse a umidade higroscópica, ou seja, a umidade que o solo é capaz de absolver à temperatura ambiente. A etiquetagem é importante para que não haja perda ou mistura dos materiais, para que cada grupo sempre trabalhe com o seu.
A etiquetagem do material é feita de acordo com a NBR 9603/86, como mostra a tabela a seguir:
Tabela 1: Etiquetagem da amostra de solo.
NOME DA OBRA | Casada Siméia |
NOME DO LOCAL | Casa da aluna Siméia, Major Vieira |
NUMERO DO FURO | 01 |
INTERVALO DE PROFUNDIDADE DA AMOSTRA | Até 0,30 cm solos descartado,0,30cm a 0,80cm, retirado a amostra |
DATA DA COLETA | 24/10/2012 |
NUMERO DA AMOSTRA | Eq03B/01 |

Depois da etiquetagem, marcamos com o código da equipe os materiais levado pelo grupo para utilizarmos em laboratório, Eq03B (equipenº 03, da turma B).
Feito isto, foi enumerado cinco capsulas e pesado (tara), em seguida foi cheio as capsulas com solo úmido e pesado novamente. Foi colocado na estufa e deixado lá por aproximadamente 24 horas, em uma temperatura de 105º a 110ºC, (o material não era orgânico, por isso essa temperatura é a suficiente para o tipo de solo ser seco totalmente).
Após o período de secagem em estufa,foi retirado as amostra com uma pinça, deixado esfriá-las e novamente pesadas, agora com o solo já seco.
Com os dados coletados, como mostra a tabela abaixo, calcula-se o teor de umidade de cada amostra, conforme diz na NBR 6457/86:
H = M¹ - M² x 100
M² - M³ , onde:
H: teor de umidade;
M¹: massa do solo úmido, mais massa recipiente, em gr;
M²: massa do solo seco, mais massarecipiente, em gr;
M³: massa do recipiente ( no caso, nós usamos capsulas metálicas sem tampa), em gr.

Tabela 2: Coleta de dados.
AMOSTRA | VAZIA | CHEIA UMIDA | CHEIA SECA |
Eq03B/01 | 7,5 gr | 40,7 gr | 30,3 gr |
Eq03B/02 | 7,3 gr | 37,8 gr | 28,2 gr |
Eq03B/03 | 7,4 gr | 34,8 gr | 26,3 gr |
Eq03B/04 | 7,5 gr | 37,5 gr | 28,2 gr |
Eq03B/05 | 7,5 gr | 34,8 gr | 26,3 gr |...
tracking img