Regioes da onu

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3520 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Anamaria Fadul(1)

Indústria Cultural e Comunicação de Massa

Discutir com educadores é sempre uma oportunidade muito boa para quem trabalha na Universidade. Na verdade, o professor universitário corre sempre o risco de viver numa redoma, na medida em que ele está distanciado da prática diária da sala de aula e do ensino em geral. A Educação pressupõe o diálogo constante entre presente, passado efuturo, por isso não se pode colocá-la no gueto do passado, obcecada pela transmissão do saber adquirido. A Escola tem de conhecer o passado para entender e projetar o futuro. Nesse sentido, já foi um aprendizado saber que existe uma instituição como a Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE –, preocupada com a problemática que cerca a atualidade. É da perspectiva de que temos de sonhartambém que eu gostaria de discutir o tema em questão. Um tema fascinante, mas complexo e difícil, que desperta sempre muita paixão. Isto porque discutir uma realidade presente na casa de todos nós, como a televisão, o jornal e o rádio, implica sempre trazer para essa discussão vivências cotidianas, uma vez que a televisão nos toca profundamente, todos os dias, todas as horas. Os meus primeirosesforços para entender o conflito existente entre Escola e Meios de Comunicação de Massa, Escola e Indústria Cultural vêm desde 1978. Assim, já nessa época, tentava, em um de meus textos sobre o tema, entender o desafio que os meios de comunicação têm representado para a Escola, assinalando que a compreensão da Indústria Cultural era importante não só para a Escola, mas para a sociedade em geral.Ela era importante para a cultura, para a Educação e para a comunicação porque estava

1 Professora Titular da Escola de Comunicações e Artes de Universidade de São Paulo – ECA/USP.

53

trazendo uma problemática típica do mundo contemporâneo. Não se pode esquecer que todas as informações contemporâneas são mediatizadas pelos meios massivos e pela Indústria Cultural. Portanto, dessa perspectiva,gostaria de fazer uma rápida análise histórica a fim de que se possa entender a Indústria Cultural na atualidade. Outra coisa que gostaria de deixar bem claro é que não pretendo fazer aqui nem a demonização da Indústria Cultural nem sua defesa, mas simplesmente possibilitar sua compreensão, porque é só através de seu conhecimento que se pode propor uma nova política educacional, cultural ecomunicacional capaz de fornecer subsídios para a alteração da própria Indústria Cultural. É só por meio da informação de alunos críticos, de alunos que tenham conhecimento da Indústria Cultural que se pode ter a possibilidade de interferir para aperfeiçoá-la e melhorála. Não para piorá-la. É muito interessante discutir essa questão, ou seja: quem manipula quem? É o público que manipula a televisão ou é atelevisão que manipula o público? Assim, esses dois conceitos, Indústria Cultural e Comunicação de Massa, têm de ser vistos a partir de uma perspectiva histórica. Não tem sentido também fazer uma exposição académica que não indique perspectivas ou propostas de ação. Assim dividirei este texto em duas partes: a primeira consistirá de uma análise histórica e de uma análise de conjuntura; a segundadiscutirá perspectivas de intervenção e de ação, porque não vale a pena continuar fazendo simples exercícios acadêmicos e digressões intelectuais. A situação da Educação no Brasil hoje é tão grave e séria que não se pode dar ao luxo de digressões intelectuais, extremamente fascinantes e sedutoras que, todavia, se esgotam no discurso. Corro o risco sempre de ser malcompreendida, porque não possopensar na teoria separada da prática, mas sei também que apresentar propostas de ação é algo muito difícil para o académico. Nesse sentido, sou malcompreendida na Universidade, porque estou tentando pensar a teoria a partir de uma reflexão sobre a Escola. Sou malvista por ambos os lados. Considero, entretanto, que o conflito e a controvérsia fazem parte da minha carreira e não vou fugir dela. Estou...
tracking img