Reciclagem de baterias automotivas-saturnismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3944 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
|[pic] |UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO |
| |ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO |
| |Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho|



DOMINGOS SÁVIO
LAURO MARQUES
PRISCILA OLIVEIRA
TATIANA FORTES












SATURNISMO





















Recife, PE
2012

|[pic] |UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO|
| |ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO |
| |Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho |





DOMINGOS SÁVIO
LAURO FREITAS
PRISCILA OLIVEIRA
TATIANAFORTES












SATURNISMO





Trabalho apresentado ao Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, da Escola Politécnica de Pernambuco da Universidade de Pernambuco como parte integrante da nota final da disciplina Doenças do trabalho e Segurança hospitalar.




Prof. Dr. Flávio LinsRecife, PE
2012
SUMÁRIO



1. INTRODUÇÃO 4
2. AGENTES OCUPACIONAIS 6
3. INTERAÇÃO COM O TRABALHADOR 9
4. ATIVIDADES LABORAIS RELACIONADAS A DOENÇAS DO CHUMBO 10
5. MÉTODOS DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE 11
6. MODOS DE PREVENÇÃO: COLETIVA E INDIVIDUAL 12
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 13
1. INTRODUÇÃO



O chumbo constitui um metal abundante na crosta terrestre estandoamplamente distribuído e sendo encontrado livre e em associação com outros elementos. O baixo ponto de fusão, a ductibilidade e a facilidade de formar ligas justificam a ampla utilização do chumbo, desde a antigüidade, para fabricação de utensílios domésticos, armas e adornos, tendo provocado inúmeros casos de intoxicações ocupacionais e ambientais (BRASIL, 2006).

A quantidade anual de chumbo que sedispersa como contaminante atmosférico é muito elevada. Nriagu e Pacyma (1988) estimaram que a cada ano um total de 330 000 toneladas de chumbo são diretamente despejados na atmosfera. Alguns autores consideram que somente 4% do chumbo emitido na atmosfera seja de fontes naturais (emissões vulcânicas, erosão, e depósitos naturais). A figura 1 ilustra as rotas de exposição humana do chumbo.[pic]

Os riscos à saúde decorrentes da exposição ocupacional ou ambiental ao chumbo foram descritos há mais de 2000 anos. No entanto, é a partir da revolução industrial no século XVIII que a utilização do metal atinge grande escala e as concentrações de chumbo atmosférico passam a crescer paulatinamente, assim como a concentração do metal no sangue dos expostos (PALOLIELO, 1996; MOREIRA, F.;MOREIRA, J., 2004).

Atualmente, a intoxicação resultante da exposição à longo prazo ao chumbo e seus compostos é a forma mais encontrada, sendo o saturnismo uma moléstia profissional conhecida há vários anos. Apesar da implantação de medidas de higiene industrial o chumbo ainda é responsável por alta incidência de intoxicação entre os trabalhadores no Brasil (LEITE, 2006). Algumas profissões têm umrisco muito maior: montagem de veículos, montagem e recuperação de baterias, soldagem, mineração, manufaturação de plásticos, vidros, cerâmicas e indústrias de tintas, oficinas de artesanato. Estima-se que o chumbo seja utilizado em mais de 200 processos industriais diferentes com destaque para a produção de acumuladores elétricos (BRASIL, 2006);

Nos países desenvolvidos a ocorrência de casos...
tracking img