Rdbm

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3605 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Módulo 1 – Língua Brasileira de Sinais: conceitos importantes

Apresentação do Módulo Neste módulo você estudará conceitos importantes que irão auxiliá-lo na aprendizagem da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Objetivos do Módulo Ao final do estudo deste módulo, você será capaz de: Definir o que é Libras; Compreender a trajetória histórica das línguas de sinais no mundo e no Brasil; Exercitaro alfabeto manual da Libras.

Estrutura do Módulo Aula 1 – O que é a Língua Brasileira de Sinais (Libras)? Aula 2 – Principais aspectos históricos Aula 3 – Hora da prática: exercitando o alfabeto

Aula 1 – O que é a Língua Brasileira de Sinais (Libras)?

Para iniciar sua construção da aprendizagem, assista ao vídeo sobre as dificuldades que os deficientes auditivos enfrentam no seu dia a dia.

1 Dificuldades no cotidiano dos deficientes auditivos 1

Você já vivenciou situações como essas? Tem parentes, vizinhos ou conhece alguém que já tenha passado por dificuldades desse tipo? Momentos como os apresentados no vídeo são cotidianamente vivenciados em todas as instâncias públicas de atendimento ao cidadão por cerca de 6 milhões de brasileiras e brasileiros que possuem deficiência auditiva.Em geral, as pessoas com deficiência auditiva em nível severo e profundo forma de comunicação. Embora a legislação, que você estudará mais adiante, determine a presença de intérpretes da Libras em todas as instâncias públicas, boa parte dos serviços prestados ao cidadão poderiam ser bem resolvidos se os servidores públicos tivessem conhecimento básico da Língua Brasileira de Sinais (Libras),especialmente se relacionarmos tais conhecimentos às atribuições dos agentes da segurança pública. Os atendimentos realizados pelas polícias civil, militar e federal e pelo Corpo de Bombeiros – ocorrências que, em geral, acontecem em ambientes externos às sedes administrativas e em situações de rotina ou emergenciais com diversos níveis de complexidade – ficariam inviabilizados caso dependessem de umintérprete para cada ocorrência envolvendo pessoas com deficiência auditiva. Assim, o conhecimento da Libras pelo maior número possível de agentes torna-se imprescindível.
1. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=HZ79chg98Yc&feature=player_embedded, acesso em: 01 agosto 2012.
2

2

utilizam apenas a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como

Acessa o arquivo Niveis de perda auditiva.pdf2

1.1. Vamos iniciar Ainda hoje há quem, erroneamente, acredite que as línguas de sinais são apenas um conjunto de pantomimas, compostas por uma combinação de gestos que permitem aos seus usuários uma comunicação rudimentar (Hickok, Bellugi & Klima, 2001), ou que, ao se comunicar, a pessoa surda esteja “escrevendo no ar” as palavras da língua oral por meio do alfabeto digital, ou, ainda, quetodos os sinais sejam icônicos, isto é, a representação no espaço de seu referente. Ao contrário, as línguas de sinais são sistemas altamente estruturados, constituídos de toda a complexidade gramatical das línguas faladas, regras bem definidas e vários níveis de estrutura linguística, como morfologia, sintaxe, semântica, pragmática; além de serem dotadas de riqueza lexical e de sofrerem variaçõeslinguísticas. Os itens lexicais, que nas línguas orais são chamados de palavras, são denominados “sinais” (de onde deriva o nome Língua de Sinais). Eles podem ser icônicos ou arbitrários e conseguem descrever toda a complexidade, concretude e abstração inerentes ao pensamento humano. Veja, abaixo, exemplos de sinais icônicos e arbitrários.

3

ICÔNICOS

CASA

CAVALO

ARBITRÁRIOS

AMIG@

TRABALHAR4

Quando se fala em línguas de sinais, refere-se a elas no plural porque, assim como as línguas orais, elas não são universais. Cada país possui sua própria língua, que ainda sofre as variações linguísticas geradas pelos regionalismos, gírias, linguagem em sentido figurado ou códigos linguísticos próprios, como os das tribos urbanas, por exemplo (Freitas, 2009). É possível constatar, então, que...
tracking img