Rastreamento da anemia ferropriva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3362 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FUNDAÇÃO FRANCISCO MASCARENHAS
FACULDADES INTEGRADAS DE PATOS
CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA




ANNY DRIELLY GOMES FEITOSA
GABRIELA GOMES DE MELO E SILVA




ANEMIA FERROPRIVA EM GESTANTES NA CIDADE DE PATOS















PATOS– PB
MAIO, 2011
ANNY DRIELLY GOMES FEITOSA
GABRIELA GOMES DE MELO E SILVA





ANEMIA FERROPRIVA EM GESTANTES NA CIDADE DEPATOS






Projeto de pesquisa apresentado a Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso da Fundação Francisco Mascarenhas das Faculdades Integradas de Patos, como requisito parcial para obtenção do diploma de Bacharel em Biomedicina pela referida instituição.



Orientadora: Profª. Dr. Maria Margareth Câmara











PATOS – PB
FEVEREIRO,2011
SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 03
2 PROBLEMATIZAÇÃO 04
3 OBJETIVOS 05
3.1 GERAL 05
3.2 ESPECÍFICOS 05
4 JUSTIFICATIVA 06
5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 07
5.1 ASPESTOS FISIOLÓGICOS DA GESTAÇÃO 07
5.2 METABOLISMO DO FERRO E ANEMIA FERROPRIVA 08
5.3 ANEMIA FERROPRIVA ASSOCIADA AOS PARÂMETROS SOCIAIS, NUTRICIONAIS E DIAGNÓSTICOS DA GESTAÇÃO 08
5.4 TRATAMENTO DA ANEMIA FERROPRIVA EM GESTANTES 09
6METODOLOGIA 10
6.1 TIPO E LOCAL DE ESTUDO 10
6.2 POPULAÇÃO E AMOSTRAGEM 10
6.3 CRITÉRIOS DE INCLUSÃO E EXCLUSÃO 10
6.4 INSTRUMENTOS E PROCEDIMENTOS DE COLETA DE DADOS 10
6.5 ANÁLISE DOS DADOS 10
6.6 PROCEDIMENTO ÉTICO 11
7 CRONOGRAMA 12
8 ORÇAMENTO 13
REFERÊNCIAS 15
APÊNDICES 16
APÊNDICE A - TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO 17
APÊNDICE B – TERMO DE COMPROMISSO DO PESQUISADOR18
APÊNDICE C – INTRUMENTO DE COLETA DE DADOS 19
ANEXO 20
ANEXO A – TERMO DE AUTORIZAÇÃO INSTITUCIONAL 21



1 INTRODUÇÃO

A anemia é uma das entidades nosológicas de descrição mais antiga na medicina. Dada a sua conotação pan-endêmica, tornaram-se incansáveis e repetitivas as citações da estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), de que mais de dois bilhões de pessoas nomundo são anêmicas, correspondendo a um terço da população mundial. Entre os segmentos biológicos mais vulneráveis ao problema acham-se as mulheres no período reprodutivo, particularmente durante a gestação (GUYTON, 1996).
Não existem no Brasil estudos para estimar de forma consistente a dimensão do problema, sobretudo em mulheres em idade fértil, cuja taxa seria em torno de 25%, segundo umarevisão bibliográfica do período de 1990 a 2007. Outro trabalho, sobre a transição nutricional no Brasil, realizado com base em três estudos transversais das décadas de 1970, 1980 e 1990, referencia que as anemias continuam com prevalências elevadas de 30 e 40% em gestantes. Este conclui que, em termos de magnitude, o principal problema carencial do país (SANTOS et al.,2000).
As mulheresgestantes constituem o grupo mais crítico do ponto de vista da necessidade orgânica de ferro. Entre muitas das manifestações que há no período gestacional é importante ressaltar as alterações de volume e composição do sangue, do qual leva ao aumento da volemia, que em decorrência disso, ocorre um estado de hemodiluição que caracteriza a uma anemia fisiológica no qual ocorre a baixa concentração dahemoglobina no sangue, por ausência de certos nutrientes essenciais.
Além da gestante, o feto precisa de ferro para formar hemoglobina e constituir uma reserva para os primeiros três meses após o nascimento. Assim sendo, o fato de ser jovem não constitui risco que aumenta a morbidade materna, especialmente porque a maioria das adolescentes engravida com idade ginecológica (anospós-menárquicos) superior a 4 anos, porém alguns fatores tais como: imaturidade ginecológica (idade ginecológica inferior a 2 anos), subnutrição, exposição a ambientes insalubres e excessivamente contaminados, baixo nível socioeconômico e atendimento pré-natal incompleto ou tardio resultam em maior incidência de intercorrências obstétricas, que influenciam diretamente as taxas de morbidade e mortalidade...
tracking img