Quem ama educa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 284 (70790 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Içami Tiba Quem AMA, EDUCA! Copyright o Içami Tiba Rosely M. Boschin Rosângela Barbosa Júlio Fagim Elvira Gago Maria Cecilia Caropreso María Alayde Carvalho Tânia Roiphe Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica Macquete Gráfica Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, 9, Brasil) Tiba, Içami Quem ama, educa / Içami Tiba — São Paulo Editora Gente. 2002.Bibliografia. ISBN: 85-7312-382-6 1. Crianças — Criação 2. Educação — Finalidades e objetivos 3. Educação de crianças 4. Família 5. Felicidade em crianças 6. Pais e filhos 1. Título. 02-5735 CD Índices para catálogo sistemático: 1. Pais e filhos : Educação familiar 649.1 Todos os direitos desta edição são reservados à Editora Gente. Rua Pedro Soares de Almeida, 114, São Paulo, SE CEP 05029-030.Telefax (11) 3675-2505 Endereço na Internet: http://www.editoragente.com.br E-mail: gente@editoragente.com.br Editora Assistente Editorial Capa Preparação

Revisão Felicidade Os pais podem dar alegria e satisfação para um filho, mas não há como lhe dar felicidade. Os pais podem aliviar sofrimentos enchendo-o de presentes, mas não há como lhe comprar felicidade. Os pais podem ser muito bem-sucedidose felizes, mas não há como lhe emprestar felicidade. Mas os pais podem aos filhos Dar muito amor, carinho, respeito. Ensinar tolerância, solidariedade e cidadania, Exigir reciprocidade, disciplina e religiosidade, Reforçar a ética e a preservação da Terra. Pois é de tudo isso que se compõe a auto—estima. É sobre a auto-estima que repousa a alma, E é nesta paz que reside a felicidade. * A traduçãodeste ideograma é “Felicidade IÇAMI TIBA Grata apresentação de NATÉRCIA TIBA aos leitores Apresento-a como co-autora deste livro. Ela insiste em ser colaboradora. Co-autora porque Natércia introduziu preciosos temas sobre os quais eu não teria condições teórico-prático-vivenciais de escrever. Colaboradora porque ela acha que sua participação foi pequena. Pura modéstia, pois o que ela produziu temuma qualidade ímpar que compensa qualquer quantidade. Mas essa é uma saudável dialética que não terminaria nunca, pois é entre duas pessoas que se conhecem muito bem... É um relacionamento de mútuo respeito, admiração, carinho e reconhecimento do valor pessoal, familiar e profissional. Então que assim seja: Natércia participa como colaboradora... Mas para mim ela continua co-autora. Com excelentebase escolar, ela se graduou psicóloga com especialização em psicodrama sob os caprichados e competentes olhares de verdadeiros mestres nessa arte, além das profundas incursões teóricas em várias fontes se lançou nos campos terapêuticos para ajudar seus pacientes (casais grávidos, crianças/adolescentes e respectivos pais) a superar suas barreiras, resolver seus conflitos, ampliar suas vidas parao mundo do qual fazem parte e integrar-se com as pessoas que lhes são caras.

Como uma especialidade dentro de outra, Natércia focalizou seus interesses em gestantes (marido e mulher), formando grupos de orientação e preparo para a futura patermaternidade, sem descuidar de continuar aprendendo com as próprias crianças. Nessas áreas sua contribuição foi fundamental para este livro. Comoco-autora, ela deveria assinar textos de vários capítulos, entre os quais destacamos: homem grávido; pai integrado: amamentação e seus segredos: rotina das mamadas; sono do bebê; respeito ao bebê; hora da papinha; tudo vai para o chão; crianças hiperativas; babás/avós/creche; e escola (escolha, parte que lhe cabe, parceria com os pais). Natércia também sugeriu acréscimos importantes em todo o livro, comtantas contribuições valiosas que seria praticamente impossível destacá-las. Muitas perguntas da parte final do livro foram por ela respondidas, principalmente as que se referem a crianças e bebês. Por mim, ela deveria assinar também os outros capítulos... Como pessoa, participei ativamente do seu crescimento com alegrias e satisfações, pois chateações praticamente não existiram. Parece-me...
tracking img