Queimaduras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 65 (16242 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
M A N U A L: ASSISTÊNCIA

INTEGRAL ÀS COM PESSOAS

FERIDAS

CRÔNICAS R I B E I R Ã O P R E T O - 2.004

2

COORDENAÇÃO:
Serviço de Assistência Domiciliar da Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto Divisão de Enfermagem da Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto Programa de Educação Continuada da Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto

ELABORAÇÃO:
AparecidaMabtum – Enfermeira da SMS-RP Carmem Sílvia Cascaldi Garcia – Farmacêutica da SMS-RP Cinira Magali Fortuna – Enfermeira da SMS-RP Daniela Soares da Silva – Enfermeira da FAEPA – C.S.E - Sumarezinho Emília Maria Paulina Campos Chayamiti – Enfermeira da SMS-RP Dulce Helena Pereira do Carmo – Enfermeira da SMS-RP Mara Lígia Casadio Henriques – Enfermeira da SMS-RP Márcia Ferreira Frederico – Chefe daDivisão de Enfermagem da SMS-RP Maria Luiza Belloni Garcia – Enfermeira da SMS-RP Maria Lúcia Brondi Fernandes – Enfermeira da SMS-RP Maria Lúcia Rímoli Kemura – Enfermeira Coordenadora do SAD-SMSRP Maristela Coffacci de Lima Viliod – Enfermeira da SMS-RP Rita de Cássia Canesin Dourado Costa – Enfermeira da SMS-RP Roberta Zucoloto – Fisioterapeuta da SMS-RP Sheila Valadão Carvalheiro Russo –Enfermeira da SMS-RP Terezinha Kinue Yano – Enfermeira da SMS-RP Valéria Aparecida Marson Sanches Simões – Enfermeira da SMS-RP

Assessoria
Profª. Drª Maria Helena Larcher Caliri – Docente da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo Profª Eline Lima Borges, Enfermeira Estomaterapeuta, Docente da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Doutoranda EERP. Revisãode Português - Maria Neide Morgado Borges 2004

3

MANUAL: ASSISTÊNCIA INTEGRAL ÀS PESSOAS COM FERIDAS CRÔNICAS
COORDENAÇÃO, ELABORAÇÃO, ASSESSORIA 0 – ÍNDICE 1 – APRESENTAÇÃO 2 – REVISÃO TEÓRICA 2.1 – Revisão da Anatomia e Fisiologia do Tecido Tegumentar. 2.2 – Revisão da Fisiologia da Cicatrização 2.3 – Tipos de Cicatrização 2.4 - Fatores que Interferem na Cicatrização das Feridas. 2.5 –Classificação das Feridas 2.6 - Tipos Mais Comuns de Feridas Crônicas 2.6.1 – Úlceras de Pressão 2.6.2 – Úlceras Vasculares 2.6.3 – Úlceras Neuropáticas 3 – CURATIVO 3.1 – Conceito 3.2 – Finalidades 3.3 – Normas Básicas 3.3.1 – Normas de Assepsia 3.3.2 – Normas Técnicas 3.3.3 – Normas de Biossegurança e Precauções Padrão 3.4 – Procedimentos 3.4.1 – Remoção do Curativo Anterior 3.4.2 – Limpeza dasAdjacências da Ferida 3.4.3 – Limpeza da Ferida 3.4.4 – Avaliação da Ferida 3.4.5 – Desbridamento 3.4.6 – Tratamento e Cobertura da Ferida 3.4.7 – Tratamentos e Coberturas Citados no Protocolo 4 – FORMULÁRIOS 4.1 – Escala de Braden and Nancy Bergstrom – 1998 (Anexo 1) 4.2 – Avaliação e Acompanhamento de Pessoas com Feridas Crônicas (Anexo 2) 4.3 – Tratamento Tópico de Tecidos Danificados (excetoqueimaduras) (Anexo 3) 4.4 – Fluxo do Controle de Materiais Planilha de Controle de Materiais para Curativos (Anexo 4) 5 – CONSIDERAÇÕES FINAIS 6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. 02 03 04 06

06 07 09 10 12 13 13 19 21 25 25 25 26 26 26 27 29 29 29 29 30 32 33 34 41 41 41 44 46 48 49

4

1 – APRESENTAÇÃO
Os profissionais da Saúde, e particularmente os da enfermagem, se deparam cotidianamentecom agravos e limitações que colocam as pessoas na complexa situação de não conseguirem levar suas vidas com autonomia e condições básicas de existência (trabalho, lazer, segurança, locomoção, dentre outras.). Possuindo experiências, conhecimentos e concepções diferentes, cada profissional acaba por tomar condutas próprias, muitas vezes se pautando no “acerto e erro” para prosseguir ou interromperdeterminado tratamento. Além disso, a atuação profissional vai além do fazer técnico, pois traduz uma concepção política e a adesão ainda que não explícita a um determinado projeto. O fazer do profissional da saúde traduz concepções sobre o processo de saúde e doença, sobre o trabalho e sobre a vida. Acreditamos na possibilidade de repensar esse saber/fazer através do diálogo entre trabalhadores...
tracking img