Publicidade anos 50 a 60

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1686 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Publicidade anos
50 a 60
Publicidade anos
50 a 60

Pode-se dizer que a moderna propaganda brasileira surgiu nos anos 50. A industrialização e a urbanização crescentes criaram um mercado promissor para os produtos de consumo corrente, como alimentos e bebidas, artigos de vestuário, eletrodomésticos, produtos de higiene, limpeza e toucador, etc. Todos esses produtos precisavam ser anunciados,menos por necessidade de competição entre marcas e mais pela necessidade de atrair o consumidor e assim criar novos hábitos e necessidades de consumo. O creme dental Kolynos, por exemplo, distribuía amostras e fazia demonstrações nas escolas públicas. A Escolinha Walita criava novos cursos para ensinar as mulheres a usar o liquidificador e a batedeira de bolos. A Electrolux fazia demonstrações desuas enceradeiras de porta em porta. E a Gessy-Lever montava caravanas que viajavam pelo País demonstrando as vantagens daquela novidade extraordinária que era o sabão em pó marca Omo. Mas, sem dúvida, o principal trabalho educativo ficava por conta dos anúncios em jornais e revistas e dos comerciais e textos nas emissoras de rádio. Anúncios que hoje nos parecem ingênuos (porque a sociedade daépoca também o era) ajudaram a criar entre nós os primórdios da atual sociedade de consumo.

Por outro lado, foi nos anos 50 que ocorreu a efetiva expansão das agências de publicidade estrangeiras, principalmente americanas. Foram elas que trouxeram a modernidade para a nossa propaganda. Mas é preciso ressaltar que os brasileiros aprenderam depressa e logo se tornaram mestres desta nova arte.

Acriação publicitária da época já refletia essa influência das técnicas americanas. Os redatores, em especial, estavam bem informados sobre os problemas de vendas e de marketing de seus clientes. E a propaganda que criavam seguia de perto os cânones americanos, dando muita importância ao texto em geral e aos títulos e slogans em particular. Esta importância do título e do slogan definia o perfil doredator dos anos 50. Um bom título, ou slogan, depende fundamentalmente de quatro coisas: criatividade, raciocínio lógico, poder de síntese e domínio perfeito da linguagem.

Muitos dos bons redatores da época tinham todas essas qualidades, além de um conhecimento intuitivo da psicologia do consumidor. De certa forma, eram herdeiros de duas grandes fontes: o jornalismo e a literatura. O protótipoe precursor deste redator ideal dos anos 50 foi Origines Lessa, o grande mestre que encerrou sua carreira na J. Walter Thompson no Rio de Janeiro. Origines contava que, certa vez, fez de "estalo" um slogan que lhe rendeu um carro novo, para uma grande fábrica de fechaduras. O slogan era assim: "Fechaduras XXX a fechadura que fecha e dura".

OS 20 MAIORES ANUNCIANTES NO BRASIL – 1950
Coca-ColaRefrescos S.A.
SAS – Scandinavian Airlines Syste
Standard Electric
Cia Cervejaria Brahma
Produtos da Perfumaria Myrta S.A.
Gillette
Souza Cruz
General Electric
Coty
Sul América – Cia Nacional de Seguros de Vida
Banco Nacional de Minas Gerais
Café Paulista
Televisão Tupi
Shell
Industrias Alimentícias Carlos de Britto S/A
Aerovias Brasil
Agência Dubar da Cia. Antarctica PaulistaRefinadora de Óleos Brasil SA
SA de Perfumaria J. & E. Atkinson
Lever

A maioria absoluta dos anunciantes acima tinha sua sede no Rio de janeiro, que era a capital política e econômica do País. Dessa forma, era também no Rio que estava a sede da maioria das grandes agências de propaganda, nacionais e estrangeiras. Foi só a partir do fim dos anos 50 que começou a migração de empresas e deagências para São Paulo. Nossa cidade era quase quatro vezes menor que o Rio de janeiro, mas já revelava uma vitalidade econômica e cultural invejável. Foi aqui, e não no Rio, que surgiu o Museu de Arte de São Paulo (Masp), o maior e melhor museu brasileiro.Foi aqui que começou a renovação de nosso teatro, com o TBC, de Franco Zampari. E foi aqui, também, que surgiu (em 1951) a Escola de Propaganda...
tracking img