Psicoterapia de casal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4599 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Histórico
Perspectivas americanas e inglesas
Foi um pouco antes da década de 40 que alguns psicanalistas americanos deram início ao trabalho de atendimento a casais. Clarence Oberndorf foi quem elaborou o primeiro relatório sobre a psicanálise de casais, nele o autor apresentou a ideia de que o casal deveria ser tratado juntos devido a suas neuroses estarem interligadas (Nichols e Schwartzapud Gomes; Levy 2009). Nas décadas de quarenta e cinquenta, em Polo Alto- Califórnia, embora inicialmente trabalhasse com a psicanálise individual, tornou-se um referencial de atendimento de casais a partir da “Abordagem Sistêmica, que encara a família como um conjunto homeostático, ou que busca a homeostase entre seus membros, transformando a noção de patologia familiar em disfunção familiar”(Gomes; Levy 2009 p.2).
Em Londres no final década de quarenta, baseados na teoria das relações objetais de Klein, a Tavistock Clinic, nasce a psicanálise de casais. Analistas com formação individual formaram um centro de atendimento denominado Tavistock Institute of Marital Studies (TIMS) em que tentaram aplicar tais conceitos no trabalho com casais. Esse centro funciona até hoje formandopsicoterapeutas clínicos e pesquisadores de família e casal. Enid Balint foi a pioneira no trabalho com casais na Tavistock Clinic, no Departamento de Estudo de Famílias, e marcou a época com suas experiências inovadoras com casais. A autora analisava a relação do casal dentro da esfera familiar e as influências que teriam sobre eles, no entanto fazia uma análise apenas dos cônjuges (Gomes; Levy 2009). Aprodução científica na instituição TIMS foi muito importante, sendo alguns nomes lembrados até hoje, entre eles estão Pincus e Dare (1978) que realizaram estudos de fundamentação da prática clínica com casais, esses estudos “revelavam um profundo interesse na trama inconsciente dos sentimentos, desejos, crenças e expectativas que unem os membros de uma família entre si, enfatizando os efeitos dossegredos e dos mitos familiares na dinâmica constitutiva de uma família” (Gomes; Levy 2009 p.4).
Ruszczynski (1994), membro da TIMS publicou um livro que relata a evolução histórica, conceitual e clínica do trabalho realizado pela instituição nos últimos 30 anos, nele descreve a construção da teoria sobre a psicanálise de casais e família baseadas nas teorias de Freud, Winnicott, Balint, Bowlbye Bion, teorias estas que se mantém atualizadas até hoje. Um dos fenômenos baseados nas teorias desses autores é a de que os mecanismos intrapsíquicos funcionam como modelo para a compreensão dos fenômenos de natureza grupal e interpsíquica (Box, Copley, Magagna e Moustaki apud Gomes; Levy 2009).

Perspectivas francesas e latino-americanas
Na década de 70, um grupo de psicanalistas, tanto naFrança quanto na Argentina, tomando como referência os estudos de Bion sobre grupos, cria um uma linha teórica com enfoque na família e em grupos maiores, esta linha foi denominada Psicanálise das Configurações Vinculares. Ela teve como significativos representantes Kaës (2001) que amplia ampliando a noção de sujeito Freudiano para sujeito da herança e Eiguer (1998), que considera que “oequilíbrio entre os vínculos narcisistas e os vínculos objetais mantém as relações de aliança, enquanto o seu desequilíbrio provoca a fragilidade e o sofrimento dos parceiros”, o autor enfatiza como os organizadores inconscientes agem na origem da escolha de objeto, nas tensões e defesas comuns e na história do vínculo.
Ruffiot (1984), também psicanalista francês, se baseia na metapsicologia freudianapara demonstrar que um novo regime econômico é instalado numa relação amorosa recíproca. O mesmo autor discorre sobre a hipótese de um aparelho grupal familiar com funcionamento autônomo, embora este seja consequência da junção dos psiquismos primários de cada integrante do grupo. Os demais autores que seguiram o mesmo pensamento foram denominados “grupoanalistas”.
Segundo Berenstein & Puget,...
tracking img