Psicologia

Páginas: 26 (6347 palavras) Publicado: 1 de dezembro de 2014
INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO TEÓRICO CLINICO DE WINNICOTT










Relatório Final de Estágio Básico II do Curso de Psicologia, sob supervisão da Profª Carla Mourão.






UNINOVE
São Paulo – 2013







SUMÁRIO

Resumo xx
Introdução xx
Objetivo(s) xx
Justificativa xx
Método xx
Discussão xx
Considerações Finais xx
Referências Bibliográficas xx
Anexos xxRESUMO
O presente estágio teve como objetivo nos dar a oportunidade de conhecer o pensamento teórico clínico de Winnicott. Para tanto, foram lidos e discutidos alguns casos clínicos de Winnicott, o que ajudou a introduzir o pensamento winnicottiano e o desenvolvimento de sua teoria na prática clínica.
Através deste, foi possível perceber que para Winnicott, um ambientesuficientemente bom – que inicialmente é representado pela mãe – é crucial para o desenvolvimento saudável de uma criança.

Palavras-chave: desenvolvimento; ambiente; mãe; teoria winnicottiana; casos clínicos.



















INTRODUÇÃO
No presente trabalho, tivemos a leitura e discussão sobre o pensamento teórico-clínico de Winnicott.
Exercendo a função de pediatra,Donald Winnicott desenvolveu sua psicanálise com base nas relações familiares entre a criança e o ambiente.
De acordo com Winnicott, todo ser humano tem um potencial para o desenvolvimento, porém, para transformar esse potencial em algo real, o ambiente se faz necessário. Inicialmente, esse ambiente é a mãe – ou alguém que exerça a função materna – e apoiada especialmente pelo pai.
Para chegar a umdesenvolvimento completo e saudável, a criança passa por processos de interdependência – uma vez que inicialmente ela é totalmente dependente – em que são essenciais a presença de ambiente agradável. É a partir desse ponto que Winniccott cria o termo “mãe suficientemente boa” e “ambiente suficientemente bom”.
Proveitosamente, pudemos partilhar em grupo seus principais conceitos, teorias e seuscasos clínicos interpretados e discutidos segundo seu pensamento.















OBJETIVO
- Familiarizar os alunos com a originalidade introduzida por winnicott ao enfatizar a importância do ambiente na constituição da subjetividade e do desenvolvimento emocional saudável

- introduzir os conceitos mais básicos da teoria winnicottiana articulando-os com os casos clínicosJUSTIFICATIVA
A filiação freudiana do pensamento de Winnicott é inquestionável, tendo sido reiteradamente reivindicada pelo próprio pensador inglês (Winnicott 1996, p. 10 e 11). No entanto a criatividade clínica e teórica do pensador inglês é de tal envergadura, que é impossível não considerá-la heterodoxa. É de novo o próprio Winnicott que o assinala nosmomentos em que se contrapõe criticamente ao que denomina como "psicanálise ortodoxa" (Winnicott,1975, p. 133).
De fato, o pensamento winnicottiano não constitui apenas a continuidade ou mesmo o aprofundamento da obra teórica de Freud, mas representa o desenvolvimento criativo das idéias centrais –verdadeiras linhas de força- que organizam o pensamento na última parte da obra teórica do criador dapsicanálise. A matriz comum não impede assim a existência de profundas divergências, dentre as quais a sempre lembrada questão da pulsão de morte é apenas o aspecto mais evidente.
A originalidade do pensamento winnicottiano é de fato profunda. Sustentando-se numa prática clínica diferente, o psicanalista inglês encontrou subsídios empíricos para enriquecer, aprofundar e articular aspectos que,embora centrais na última teorização freudiana, foram insuficientemente articulados ou desconsiderados por boa parte da teorização pós-freudiana. Convém insistir na significação da experiência clínica para a criatividade e originalidade do pensamento de Winnicott. Assim como Freud, o autor inglês reconhecia a centralidade da experiência no processo de construção teórica. Não se trata, todavia,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A PSICOLOGIA OU AS PSICOLOGIAS
  • A psicologia ou as psicologias
  • Psicologia ou psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!