Protestantismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1176 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO


Não há como negar a influência da Reforma Protestante em nosso século. Qualquer livro de História que aborde o tema: “Baixa Idade Media e início da Idade Moderna”, tem a necessidade de discorrer sobre um dos principais marcos dessa época: a Reforma Protestante, liderada pelo monge Martinho Lutero. Embora seja extremamente velho (quase 500 anos), trata-se, porém, de um temaainda vivo e em debate hoje em dia. Mas o que é a Reforma Protestante? Quais foram suas principais causas? Por que aconteceu a Reforma Protestante? É o que será explicado a seguir.





















































O que foi a Reforma Protestante?


A Reforma Protestante foi um movimento de caráter religioso quemarcou a passagem do mundo medieval para o moderno. Entre um dos fatores de grande relevância que assinalaram esse período de transformações podemos destacar o novo contexto econômico do período. No ambiente das cidades, os comerciantes burgueses eram malvistos pela Igreja. Segundo os clérigos, a prática da usura (empréstimo de dinheiro a juro) feria o sagrado controle que Deus tinha sobre o tempo. Além dos comerciantes, a própria crise econômica feudal também instigou a população a questionar os dogmas impostos pela Igreja.


AS CAUSAS DA REFORMA PROTESTANTE
Fatores Religiosos
- Corrupção do clero religioso: para ganhar dinheiro, o alto clero de Roma iludia a boa fé das pessoas através do comércio de relíquias sagradas. Milhares de pessoas eram enganados comprandoespinhos que coroaram a fronte de Cristo, pano embebido pelo sangue do rosto do Salvador, objetos pessoais dos santos etc. Além desse Comércio fraudulento, a Igreja passou a vender, também, indulgências, isto é, o perdão dos pecados. Mediante um bom pagamento, destinado a financiar obras da Igreja, os fiéis poderiam comprar a salvação e a entrada para o céu.

- Ignorância do clero: a maior parte dossacerdotes desconhecia a própria doutrina católica e demonstrava absoluta falta de preparo para funções religiosas. A ignorância e o mau comportamento do clero representavam sério problema, pois a Igreja dizia que os sacerdotes eram os intermediários entre os homens e Deus. Ora, se esses intermediários se mostravam ignorantes e incompetentes, era preciso buscar novos caminhos para o encontro comDeus.

- Aumento dos estudos religiosos: com a utilização da imprensa, aumentou o número de exemplares da Bíblia que podiam chegar às mãos dos estudiosos e da população. A divulgação dos textos sagrados e de outras obras religiosas contribuiu para o surgimento de diferentes interpretações da doutrina cristã. Apareceu, por exemplo, tinia corrente religiosa que, buscando apoio na obra de SantoAgostinho, afirmava que a salvação do homem era alcançada pela fé. Essas idéias contrariavam a posição da Igreja, baseada em Santo Tomás de Aquino, que dizia o seguinte: são a fé e as boas obras que conduzem à salvação.




O fator político
Pode ser considerado como uma das causas indiretas e importantes para a eclosão da Reforma.
Com o fortalecimento das monarquias nacionais,os reis passaram a encarar a Igreja, que tinha sede no Vaticano e utilizava o latim, como entidade estrangeira que interferia em seus países. A Igreja, por seu lado, insistia em se apresentar como instituição universal que unia o mundo cristão.

Essa noção de universalidade, entretanto, perdia força, pois crescia o sentimento nacionalista. Cada Estado, com sua língua, seu povo e suas tradições,estava mais interessado em afirmar suas diferenças em relação a outros Estados do que suas semelhanças. A Reforma Protestante correspondeu a esses interesses nacionalistas. Exemplo: a doutrina cristã dos reformadores foi divulgada na língua nacional de cada país e não em latim, o idioma oficial da Igreja.
O fator econômico
As terras da Igreja Romana na Europa ocidental eram...
tracking img