Projeto ictiologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1987 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE
Campus de Cascavel
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Colegiado de Ciências Biológicas



MICHELLE MARQUES PIRANHA







LEVANTAMENTO COMPARATIVO DA ICTIOFAUNA DOS RIACHOS: APEPU E SANGA 2 DO POÇO PRETO UM IMPACTADO E OUTRO NÃO, SITUADOS NA CIDADE DE FOZ DO IGUAÇU PARANÁ.
















1 Cascavel2 2010



MICHELLE MARQUES PIRANHA









LEVANTAMENTO COMPARATIVO DA ICTIOFAUNA DOS RIACHOS: APEPU E SANGA 2 DO POÇO PRETO UM IMPACTADO E OUTRO NÃO, SITUADOS NA CIDADE DE FOZ DO IGUAÇU PARANÁ.





Projeto de monografia apresentado ao Corpo Docente do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE,como requisito parcial para obtenção do título de Licenciado em Ciências Biológicas, sob a orientação da Professora Mse: Diesse Aparecida Sereia e co-orientação do Professor Dr. Gilmar Baumgartner.








3 Cascavel


4 2010



INTRODUÇÃO

Os peixes são os vertebrados mais antigos e com maior número de espécies. A água doce comporta um total aproximado de 8.500espécies, a maioria habitando os vastos sistemas de rios e lagos tropicais (COHEN, 1970). No Brasil a fauna de peixes de água doce está entre as mais ricas e com maior biodiversidade do mundo, contendo aproximadamente 39 famílias, 517 gêneros, com mais de três mil espécies catalogadas (NAKATANI et al., 2001).
Pesquisas a respeito da fauna de peixes de água doce e principalmente estudos dedicadosaos indivíduos de riachos, vem aumentando (WANTZEN et al., 2006), mas ainda são escassos, principalmente falando – se de Brasil onde se encontra uma grande diversidade ictica. Isso se deve a vários fatores, como a grande diversidade de espécies existentes, à falta de coletas em várias regiões por problemas de acesso, ou mesmo devido ao alto custo que pode existir ou então pelo número limitado depesquisadores que tem se dedicado ao estudo taxonômico dos peixes (MALABARBA & REIS, 1987). Nesse sentido destacam-se alguns trabalhos realizados na Mata Atlântica (COSTA 1987, SABINO & CASTRO 1990, BUCK & SAZIMA 1995, ARANHA et al. 1998, DUBOC & ABILHOA 2003, FOGAÇA et al. 2003), Amazônia (SABINO & ZUANON 1998) e Alto Paraná (CASTRO et al. 2003, CASATTI 2005, OLIVEIRA & BENNEMANN 2005). Porémainda pouco se sabe sobre a taxonomia, biometria e ecologia dos ambientes de riachos, fazendo-se necessário mais estudos destinados a esse assunto.
Os riachos são ambientes que possuem pequenas dimensões e devido a este tamanha restrito, possuem elevada fragilidade às ações antrópicas. Outra característica altamente relevante é o acentuado endemismo encontrado nesse habitat além da presençade espécies de pequeno porte com um limitado potencial de dispersão (WEITZMAN & VARI 1988). Buscar informações sobre as espécies e sua ecologia servirá para fornecer dados sobre as condições naturais de cada espécie e com isso contribuir na conservação de sua biodiversidade.
Nas últimas décadas diversos ecossistemas aquáticos sofreram alterações devido às ações antrópicas, tendo comoconseqüência modificações nas comunidades biológicas. À medida que a ação antrópica aumenta, algumas espécies começam a desaparecer e a estrutura trófica é alterada. (ARAÚJO 1998). De acordo com Lyons et al. (1995), os riachos com boas condições de integridade possuem espécies de peixes nativas com várias classes de tamanhos e a estrutura trófica é balanceada.
Ainda segundo Cunico et al. (2006) afauna peculiar e importância ecológica dos riachos, contrastam com a degradação a que vem sendo submetidas à maioria das bacias hidrográficas, particularmente em trechos urbanizados.
Conhecer a diversidade ictiofaunística, sua distribuição, e os conhecimentos sobre a biologia das espécies são fatores relevantes para direcionar o manejo de recursos aquáticos, recuperar áreas degradadas e...
tracking img