Projeto de metodologia cientifico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1704 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Projeto de metodologia cientifica

Tema: Violência Contra Mulher: Domestica.
Problema: Por que a mulher vitima da violência dão queixa e depois se arrependem e querem retirar?
A cada dia aumenta o número de mulheres que prestam queixa por ameaça de morte ou agressão física. O problema é que grande parte se arrepende de ter ido à delegacia e querem retirar a queixa, 50% das mulheres que sãoagredidas ou ameaçadas pelo companheiro e fazem o boletim de ocorrência se arrependem e tentam retirar a queixa. Desde janeiro deste ano foram registrados mais de 30 procedimentos de violência contra mulher, ou seja, abertura do inquérito. "Depois que o Boletim de ocorrência é feito não pode mais ser retirado.
Se a lesão for leve, a vítima tem o direito de representar ou não, mas se for grave, aação é incondicionada, ou seja, a agredida não pode recuar, pois o inquérito é aberto por mais que ela perdoe o companheiro. O motivo de arrependimento para não envolver a justiça é sempre o mesmo: o agressor é o pai dos filhos da vítima.
Objetivo geral:
O objetivo geral do estudo é analisar a violência contra a mulher a partir de registros bibliográficos. Investigando a questão da violência,particularizando para a chamada de violência doméstica contra a mulher e fazer uma revisão critica. Esse estudo compartilha também as referências teóricas adotadas para compreender e definir o fenômeno social da violência contra as mulheres e a posição das mulheres em relação à violência.
Objetivo especifica:
* Acolher.
* Orientar.
* Conscientizá-la quanto a seus direitos, encaminhá-lapara grupos de ajuda de forma a gerar debates e reflexões, envolvendo assim ela em contato com outras vitimas da violência.
* Oferecer atividades objetivando preparar e inserir a vitima para o mercado de trabalho como forma de conquista da independência financeira e melhoria da auto-estima e superação da violência.
* Encaminhá-la para tratamento psicológico com um profissional.
* Senecessário for encaminhá-la para uma casa de apoio a vitimas de violência domestica.

Hipótese:
Aprofundar o conhecimento sobre o tema violência contra a mulher. Consiste em um grave problema de saúde pública e violação dos direitos humanos. Além de acarretar graves conseqüências para o desenvolvimento pleno e integral da mulher, compromete o desenvolvimento socioeconômico do país. Nessesentido, a violência contra a mulher não pode ser encarada como uma questão da vida privada, mas sim objeto de preocupação social.
A comentada Lei nº 11.340, ou Lei Maria da Penha, pôs o machismo na pauta da mídia. Após longo período de discussão, num processo que envolveu setores da moral e patrimonial da mulher. Considerada bastante avançada, conta com medidas preventivas, assistenciais,punitivas, educativas e de proteção não só à mulher como aos filhos.

Justificativa; Objetivo do estudo:
O presente estudo tem por objetivo discutir o fenômeno da violência doméstica contra a mulher, tomando como referência temporal a sanção da Lei 11.340 “Maria da Penha”, em 07 de agosto de 2006 e sua entrada em vigor a partir de 22 de setembro do mesmo ano. O ano de 2006 foi muito comemorado pelosmovimentos de mulheres, feministas e as mulheres brasileiras em geral, pois no dia 07 de agosto, o Presidente da República, Sr. Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei conhecida como “Maria da Penha”, que é específica sobre a violência contra a mulher, estabelecendo quais seriam os tipos desta violência: psicológica, física, sexual3 (...). Além disso, estabelece punições mais rigorosas para ospraticantes desse tipo de crime. Isso é muito significativo, pois vai de encontro à impunidade que é uma característica nessa área e, também, por representar maior segurança às vítimas de uma violência presente no seu cotidiano.
Interesse:
Com essa pesquisa podemos afirmar que o medo continua sendo a razão principal para evitar a denuncia dos agressores.
Para as mulheres, o fato da vitima não...
tracking img